sábado, 23 de janeiro de 2021

Governo deve alertar sobre feijões ‘milagrosos’ para Covid-19

Feijões comercializados teriam suposto poder curativo. Foto: Arquivo Pessoal

A Justiça determinou pela segunda vez, na última terça-feira (5), que o site do Ministério da Saúde (MS) alertasse sobre os feijões comercializados pelo pastor Valdemiro Santiago, que teriam supostos poderes curativos contra o coronavírus.

Na primeira decisão, o juízo determinou que “a União informe em site do Ministério da Saúde, em caráter contínuo, de forma cuidadosa e respeitosa, neutra, limitando-se a informar se há ou não eficácia comprovada do artefato (sementes de feijão/feijões) no que tange à Covid-19”. Essa informação, porém, ainda não foi incluída.

No dia 1º de janeiro, a Justiça Federal determinou que o Ministério da Saúde deve incluir “referência expressa à ‘feijão’ e ‘sementes de feijão’, nos exatos termos da medida deferida, ou seja, se há ou não eficácia comprovada do artefato (sementes de feijão/feijões) no que tange à COVID/19”. A pasta tem cinco dias para cumprir a decisão.

O Ministério Público Federal (MPF) informou que “defende que a garantia constitucional de liberdade religiosa, de crença e culto religioso não é absoluta, de modo que não está protegida juridicamente quando seu exercício coloca em risco a vida e a incolumidade das pessoas, veiculando informação e promessa de efeitos curativos ou terapêuticos, de patologia gravíssima e de consequências sociais tão dramáticas como a Covid-19, que não encontra respaldo na ciência, inclusive mediante a necessidade de prévio pagamento por parte dos fiéis, para o acesso aos supostos efeitos terapêuticos”.

O MPF afirmou ainda que, nessas circunstâncias, quem patrocina esse tipo de informação equivocada, com potencial para influenciar negativa e prejudicialmente comportamentos sociais em quadro dramático de pandemia não está imune à responsabilidade civil.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *