sexta, 23 de abril de 2021

Tudo sobre as vacinas: tipos, efeitos, doses e imunização

vacina, vacinação, coronavac
Os imunizantes CoronaVac e Oxford são os únicos aplicados no Brasil, no momento. Foto: Pedro Conforte/Arquivo

A possibilidade e negociações para a chegada de novos tipos de imunizantes para vacinação contra a Covid-19 no Brasil tem despertado cada vez mais questionamentos na população ansiosa pela vacina. Perguntas como: ‘Posso escolher qual vacina tomar?’, ‘Preciso usar máscara após a imunização?’ se tornaram tornaram recorrentes em postos de saúde e o desconhecimento pode, inclusive, confundir o processo de imunização do envolvidos.

Os imunizantes CoronaVac e Astrazeneca, por exemplo, são os únicos aplicados no Brasil atualmente. Cidades como Niterói, Maricá e Rio de Janeiro, no entanto, aguardam a liberação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para receberem também a vacina russa Sputinik V. Enquanto isso, esclarecemos algumas dúvidas. Confira abaixo:

Posso escolher qual vacina irei tomar?

Não. De acordo com a Prefeitura de Niterói, essa opção não está sendo oferecida em nenhum município do Brasil. O infectologista da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio) José Pozza Júnior explica que a indicação é tomar a primeira que estiver disponível.

Além disso, de acordo com a prefeitura, no comprovante de vacinação é informado qual o tipo de vacina foi aplicada e a data de retorno para a segunda dose. Inclusive não é possível combinar doses de diferentes fabricantes.

Quais documentos devo levar?

Para receber a primeira dose os idosos devem levar CPF e um documento de identidade com foto. Para a segunda dose, é necessário apresentar também o comprovante de vacinação da primeira dose.

Os profissionais de saúde devem apresentar registro profissional do conselho, comprovante de residência em Niterói ou comprovante do local de trabalho na cidade. Os trabalhadores da área de saúde precisam levar a carteira de identidade, CPF e comprovante do local de trabalho em Niterói.

Qual a melhor vacina?

Especialista alertam que não existe melhor vacina. Isso porque todas as vacinas de combate à Covid-19 são razoavelmente novas, portanto não há certeza sobre como cada uma responderá a longo prazo.

“Todas foram capazes de reduzir a quantidade de casos graves e, principalmente, de óbitos. Em alguns casos a pessoa pode até contrair o coronavírus, mas a vacina evita de fazer quadros graves”

Quanto tempo tenho que esperar entre a primeira e a segunda dose?

Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a bula da CoronaVac estabelece que o esquema de imunização é de duas doses de 0,5ml, com intervalo entre duas e quatro semanas.

Já a vacina Astrazeneca, a bula aprovada pela Anvisa afirma que a segunda dose deve ser administrada entre quatro e 12 semanas após a primeira dose.

Quanto tempo leva, após a vacinação, para ficar protegido do vírus?

Especialistas explicam que somente após 21 dias, em média, o sistema imunológico consegue criar anticorpos para combater a doença.

De acordo com o Instituto Butantan, ‘caso uma pessoa tenha Covid-19 logo após ser imunizada, isso não significa que a vacina não funcionou, mas que seu sistema imunológico ainda não teve tempo para criar a resposta imune. Cada organismo reage de uma forma, dependendo de fatores como a faixa etária e o próprio sistema imunológico do vacinado’.

Precisa continuar usando máscara após receber as doses da vacina?

Sim. É necessário manter todos os cuidados de prevenção mesmo após as duas doses completas da vacina porque ainda não há certeza de quanto tempo após a vacinação a imunidade atinge o auge e por quanto tempo ela irá durar.

De acordo com o epidemiologista e infectologista Bruno Scarpellini, os cuidados devem ser mantidos até termos o número de transmissibilidade menor que 0,5.

De acordo com um levantamento do Imperial College de Londres, divulgado no dia 30 de março, a taxa de transmissão da Covid-19 no Brasil é de 1,12. Dentro da margem de erro calculada pelo estudo, o valor pode variar de 1,08 até 1,14.

Efeito colateral e agora?

Caso apresente efeito colateral o ideal é procurar a própria unidade de saúde onde a dose foi aplicada e notificar.

Segundo Pozza, há dois tipos de efeitos colaterais: o leve, que é local, como dor, calor ou vermelhidão no braço; e o efeito sistêmico, que é febre, mal estar e diarréia. O infectologista explicou que ambos devem ser notificados para que seja informado à rede nacional de vigilância de efeito pós-vacinal.

“Todo relato é investigado e a gente vai ter depois um levantamento de o quanto de efeito colateral cada vacina teve e quais são esses efeitos, então é importante notificar”

Novo calendário em Niterói

Novo calendário entra em vigor a partir do dia 26 em Niterói. Foto: Marcelo Tavares / Arquivo

A Prefeitura de Niterói divulgou o novo calendário de imunização contra a Covid-19 nesta terça-feira (6). A atualização de datas começa a valer nesta quinta-feira (8), quando serão vacinados idosos a partir de 67 anos e trabalhadores da área de saúde com 50 anos ou mais.

O cronograma segue até o próximo dia 24. A partir do dia 26 de abril, com a conclusão da aplicação de doses no público de até 60 anos, o município passa a seguir o calendário unificado com as prefeituras do Rio de Janeiro, Maricá e Itaguaí.

Quem está incluso no Calendário Unificado?

Policiais militares foram inclusos como grupo prioritário para receber vacina. Foto: Arquivo

O calendário unificado de vacinação dos quatro municípios começa em 26 de abril com os portadores de comorbidade e trabalhadores das áreas listadas de 59 anos; e vai até o dia 29 de maio, para quem tem 45 anos.

Serão dois dias para cada idade: 26 e 27 de abril, para pessoas com 59 anos; 28 e 29 de abril, com 58 anos; 30 de abril e 1º de maio, com 57 anos e, assim em diante, pelas quatro semanas seguintes.

  • Pessoas com comorbidades (diabetes mellitus, hipertensão arterial grave, doença pulmonar obstrutiva crônica, doença renal, doenças cardiovasculares e cerebrovasculares, indivíduos transplantados de órgão sólido, anemia falciforme, câncer e obesidade grave);
  • Deficiência permanente;
  • Trabalhadores da saúde;
  • Educação;
  • Serviços de limpeza urbana;
  • Policiais militares e civis;
  • Guardas municipais;
  • Bombeiros;
  • Agentes penitenciários.

Todos os profissionais devem estar na ativa e apresentar documento que comprove o exercício da função. Já os portadores de comorbidades deverão apresentar atestado médico confirmando a condição de saúde.

Calendário de Niterói

  • 08/abril, quinta-feira
    Idosos a partir de 67 anos
    Trabalhadores e profissionais da área de saúde a partir de 50 anos
  • 09/abril, sexta-feira
    Idosos a partir de 66 anos
    Trabalhadores e profissionais da área de saúde a partir de 50 anos
  • 10/abril, sábado
    Idosos a partir de 66 anos
    Trabalhadores e profissionais da área de saúde a partir de 45 anos
  • 12/abril, segunda-feira
    Idosos a partir de 65 anos
    Trabalhadores e profissionais da área de saúde a partir de 45 anos
  • 13/abril, terça-feira
    Idosos a partir de 65 anos
    Trabalhadores e profissionais da área de saúde a partir de 40 anos
  • 14/abril, quarta-feira
    Idosos a partir de 64 anos
    Trabalhadores e profissionais da área de saúde a partir de 40 anos
  • 15/abril, quinta-feira
    Idosos a partir de 64 anos
    Trabalhadores e profissionais da área de saúde a partir de 35 anos
  • 16/abril, sexta-feira
    Idosos a partir de 63 anos
    Trabalhadores e profissionais da área de saúde a partir de 35 anos
  • 17/abril, sábado
    Idosos a partir de 63 anos
    Trabalhadores e profissionais da área de saúde a partir de 30 anos
  • 19/abril, segunda-feira
    Idosos a partir de 62 anos
    Trabalhadores e profissionais da área de saúde a partir de 30 anos
  • 20/abril, terça-feira
    Idosos a partir de 62 anos
    Trabalhadores e profissionais da área de saúde a partir de 25 anos
  • 21/abril, quarta-feira
    Idosos a partir de 61 anos
    Trabalhadores e profissionais da área de saúde a partir de 25 anos
  • 22/abril, quinta-feira
    Idosos a partir de 61 anos
    Trabalhadores e profissionais da área de saúde a partir de 18 anos
  • 23/abril, sexta-feira
    Idosos a partir de 60 anos
    Trabalhadores e profissionais da área de saúde a partir de 18 anos
  • 24/abril, sábado
    Idosos a partir de 60 anos
    Trabalhadores e profissionais da área de saúde a partir de 18 anos

Locais

  • Policlínica Sérgio Arouca – Rua Vital Brazil Filho, s/nº – Vital Brazil.
  • Policlínica Dr. João da Silva Vizella – Rua Luiz Palmier, 726 – Barreto.
  • Policlínica Regional de Itaipu – Avenida Irene Lopes Sodré – Itaipu.
  • Policlínica Regional Carlos Antônio da Silva – Avenida Jansen de Melo, s/nº – São Lourenço.
  • Policlínica Regional Doutor Guilherme Taylor March – Rua Desembargador Lima Castro, 238 – Fonseca.
  • Policlínica Regional de Piratininga Dom Luís Orione – Rua Doutor Marcolino Gomes Candau, 111– Piratininga.
  • Policlínica Regional Dr. Renato Silva – Avenida João Brasil, s/nº – Engenhoca.
  • Clube Central – Avenida Jornalista Alberto Francisco Torres, 335 – Icaraí.
  • Drive thru da Universidade Federal Fluminense (UFF) – Campus Gragoatá – Rua Alexandre Moura, 8 – São Domingos.
(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');