quarta, 20 de janeiro de 2021

Vacina CoronaVac tem eficácia de 50,38%

Resultado foi divulgado nesta terça-feira (11) em São Paulo. Foto: GOVESP / Divulgação

Resultados divulgados pelo Instituto Butantan, em São Paulo, mostraram que a taxa de eficácia da CoronaVac ficou em 50,38%. A informação foi divulgada durante coletiva de imprensa na sede do instituto na tarde desta terça-feira (12).

O índice aponta a capacidade da vacina de evitar casos sintomáticos da Covid-19, tanto leves como graves. Na semana passada, o Instituto já havia anunciado que a vacina protegeu contra mortes e complicações mais severas da doença.

A eficácia de 50,38% é de acordo com a taxa global. Na última semana o Butantan anunciou que no Brasil a taxa de eficácia ficou em pouco mais de 70% e para casos graves em quase 100%.

“É uma excelente vacina esperando para ser usada em um país onde morrem, no momento, em torno de mil pessoas por dia. Esperamos que as autoridades entendam o momento e ajudar nossa população a receber as vacinas o mais rapidamente possível”, afirmou o Diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas.

A eficácia geral é medida, durante os testes da vacina, comparando-se a quantidade de todos os casos (leves, moderados ou graves) que foram registrados de covid-19 entre os voluntários que foram vacinados e os voluntários que receberam placebo.

Ao longo do estudo de eficácia no Brasil, 252 voluntários tiveram covid-19, sendo que 85 deles haviam tomado vacina e 167, placebo (uma substância inócua). Dentre os voluntários no Brasil, 4.653 tomaram essa vacina e 4.599 tomaram placebo.

Todo os voluntários são profissionais de saúde, com risco muito alto e contínuo de exposição ao coronavírus. Eles receberam duas doses da vacina, com intervalos de duas semanas entre cada aplicação. A pesquisa também demonstrou que o imunizante é extremamente seguro e que nenhuma reação adversa grave foi registrada entre os participantes.

A vacina é desenvolvida pelo Butantan há pouco mais de seis meses, em parceria internacional com a biofarmacêutica Sinovac Biotech, sediada em Pequim. O produto é baseado na inativação do vírus Sars-CoV-2 para induzir o sistema imunológico humano a reagir contra o agente causador da COVID-19. A tecnologia é similar à de outras vacinas amplamente produzidas pelo instituto de São Paulo.

COM AGÊNCIA BRASIL

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *