terça, 27 de outubro de 2020

Álcool em gel e máscara em falta no Centro de Maricá

Falta de álcool gel
Apenas álcool líquido é encontrado nas prateleiras. Foto: Ibici Silva

Moradores do Centro de Maricá e Inoã estão peregrinando em busca do álcool em gel 70% nas farmácias e mercados da cidade. Comerciantes afirmam que estão encontrando dificuldades para repor os estoques. O Procon, diante das denúncias, esta reforçando a fiscalização na cidade.

A dona de casa, Jozena Silva, de 67 anos, afirma já ter percorrido diversas farmácias e supermercados à procura do álcool em gel e máscara.

“Temos que nos prevenir, como estou na categoria de risco, estou tentando tomar as medidas informadas pelos médicos. Já percorri diversos mercados e farmácias aqui no Centro e não encontrei em nenhuma. Estou preocupada”, relatou.

Já o vendedor Carlos dos Santos revela que desde a última sexta-feira (13) a farmácia está sem álcool e máscaras.

“Nunca vi acabar tão rápido. A procura começou na sexta-feira e no sábado já tínhamos pouco. Agora não temos nada, a previsão é que chegue até quinta-feira (19)”, contou.

Em supermercados da região, o estoque de álcool em gel também acabou e nas prateleiras são encontrados apenas o álcool líquido.

Nas oito farmácias pesquisadas, cinco no Centro e três em Inoã, não foi encontrado álcool em gel e máscara.

Procon realiza vistorias na cidade. Foto: Divulgação

Equipes de fiscalização do Procon estão comparando os valores praticados nos últimos três meses, por meio de conferência de notas fiscais, para verificar os aumentos dos preços praticados nestes últimos meses, em relação ao álcool em gel, luvas e máscaras.

De acordo com a coordenadora do órgão em Maricá, Drª. Angélica Spindola, a ação tem como objetivo averiguar se os produtos ofertados estão sofrendo aumento de preço sem justa causa, prática considerada abusiva pelo Código de Defesa do Consumidor.

“O Procon está recebendo e verificando as denúncias nos preços abusivos dos produtos para o combate do vírus. Recebemos informações de mercados que estariam aumentando os valores das mercadorias. Todas as denúncias serão verificadas e as medidas cabíveis serão tomadas. Os agentes estão atuando em todos os quatro distritos da cidade”, esclareceu.

O consumidor que se sentir lesado pode reportar através do WhatsApp do Procon, de número (21) 968310475, no intuito de informar e apresentar provas como fotos ou notas fiscais que comprovem as irregularidades desses estabelecimentos.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *