terça, 24 de novembro de 2020

Alerta para a ocupação de leitos em Niterói, Maricá e SG

Hospital de campanha no Clube Mauá deve ficar pronto até maio. Foto: Prefeitura de São Gonçalo

A Secretaria de Estado de Saúde alerta para risco de esgotamento das vagas em leitos de terapia intensiva nos hospitais estaduais. Nesta quinta-feira (23), a taxa de ocupação chegou a 80% dos leitos de UTI e 40% das enfermarias.

Apesar da previsão de colapso na rede pública de saúde até o final deste mês de abril, por conta da pandemia do novo coronavírus, o cenário no estado ainda é de alerta e de monitoramento. O Rio já concentra mais de 500 óbitos e mais de 6 mil casos confirmados da Covid-19.

A principal preocupação das autoridades sanitárias é de que, sem isolamento social, a alta repentina nos casos de Covid-19 poderia esgotar os leitos nos hospitais. Isso acontece porque os casos mais graves requerem apoio para respirar.

Um paciente neste estágio da doença ocupa um leito de UTI por duas semanas, em média. Atualmente os leitos regulados pela Secretaria de Estado de Saúde transfere pacientes entre as cidades conforme a demanda.

A pasta ainda aguarda entrega de respiradores e monitores anunciados pelo Governo Federal. Somando os nove hospitais de campanha e modulares, a estimativa é abertura de 2 mil leitos para dar conta da evolução da pandemia. As duas primeiras unidades de campanha a serem abertas serão no Leblon e no Maracanã.

A população de São Gonçalo também contará com um hospital de campanha, em construção no bairro Estrela do Norte, no Clube Mauá. Esta unidade terá 200 leitos totais, dos quais 40 de UTI, e deve ser concluído até maio. O Plantão Enfoco obteve dados de ocupação nos municípios da região metropolitana do Rio.

Niterói

Leitos de UTI do Carlos Tortelly estão ocupados. Foto: Prefeitura de Niterói

A Prefeitura de Niterói alcançou uma taxa de ocupação de 34% nos leitos de terapia intensiva administrados pela rede municipal nesta quarta-feira (22). O município está em alerta para a alta nos casos graves e estuda abrir mais 100 leitos de UTI.

A cidade está concentrando o tratamento no Hospital Municipal Carlos Tortelly, que é unidade de referência para a Covid-19. Ou seja, uma porta de entrada para os pacientes.

Esta unidade possui 13 leitos com respiradores e todos estão ocupados desde esta quarta. Por conta disso, a Prefeitura iniciou a transferência de pacientes com quadros mais graves para o Hospital Oceânico. O prefeito Rodrigo Neves (PDT) reforçou a necessidade de isolamento social.

 

A unidade foi arrendada da iniciativa privada e equipada com 40 leitos, dos quais 3 estão ocupados. O governo municipal está avaliando a curva de contágio e pode abrir mais 100 leitos no Hospital Oceânico.

Portanto, a taxa de ocupação de leitos de UTI em Niterói de 34% resulta de 18 dos 53 leitos ocupados.

O presidente da Associação de Saúde de Niterói, o médico César Braga, defende que os dados do nível de ocupação deveriam ter ampla divulgação.

“A Secretaria deve fornecer os dados de uma maneira mais sistemática, para que a equipe médica possa acompanhar esse processo e ter uma visão do real quadro da difusão da epidemia na população da cidade” pontou o médico.

O governo estadual reservou leitos do Hospital Estadual Azevedo Lima (Heal), na Zona Norte de Niterói. Os hospitais estaduais estão com uma taxa média de ocupação de 80% nos leitos de UTI, mas a Secretaria Estadual de Saúde não detalhou os dados do Heal.

São Gonçalo

Pacientes foram transferidos para o Luiz Palmier. Foto: Divulgação

A Prefeitura de São Gonçalo registrou uma taxa de ocupação de 5% nos 40 leitos de terapia intensiva do Hospital Municipal Luiz Palmier até quarta-feira (22). No entanto, com expectativa de alta nos casos graves do novo coronavírus, a cidade aguarda a conclusão do hospital de campanha do Clube Mauá, que terá mais 40 leitos de UTI.

O município possui uma quantidade menor de leitos ativos, mas em contrapartida o ritmo do contágio do novo coronavírus está menos acelerado que Niterói.

Os pacientes graves da rede municipal estão sendo transferidos do Pronto Socorro Central, no Zé Garoto, para o Hospital Luiz Palmier, equipado como unidade de referência para o tratamento. A unidade recebeu tomógrafo e reforço nos equipamentos para os leitos.

O Pronto Socorro ainda abriga um paciente com coronavírus internado sob terapia intensiva. Por conta da diálise, não foi possível transferi-lo para o Luiz Palmier.

Quando a ocupação do Luiz Palmier chegar a 70%, a Prefeitura pretende requisitar e iniciar a abertura de uma unidade de campanha no Hospital Samaritano, no bairro Lagoinha.

Outro reforço vem do governo estadual, com verba de Niterói e Maricá. O hospital de campanha que está sendo montado pelo estado no Clube Mauá terá, ao todo 200 leitos, dos quais 40 equipados com respiradores. Com a estrutura avançada, a previsão de abertura da unidade é na próxima quinta-feira (30).

Há, ainda, pacientes graves internados no Hospital Estadual Alberto Torres (Heat), no Colubandê. O hospital reservou 54 leitos totais para suprir a demanda da pandemia, mas já está caminhando para o esgotamento. Cerca de 80% destes leitos já estão ocupados no Heat.

Maricá

Estrutura do Che Guevara está quase concluída. Foto: Prefeitura de Maricá

Apesar da Prefeitura de Maricá ter 30 leitos de UTI equipados com ventiladores mecânicos no Hospital Municipal Conde Modesto Leal, o Centro, os pacientes ficam na unidade apenas para estabilização e são transferidos para outros municípios.

Isso acontece porque os leitos ainda estão em processo de análise (ou acreditação) pela Secretaria de Estado de Saúde e não são considerados parte da rede.

Os pacientes são transferidos para Niterói, São Gonçalo e para o Rio. No entanto, a Prefeitura não divulgou o número de pacientes que foram transferidos ou aguardam transferência no Conde Modesto Leal.

Esta é a única unidade com UTI na cidade, por enquanto. Como restam apenas 20% das vagas na rede estadual, o município corre contra o tempo para equipar e abrir seu segundo hospital.

O Hospital Municipal Doutor Ernesto Che Guevara, na RJ-106, está com a estrutura concluída, tem cerca de 130 leitos totais e aguarda a chegada 70 de respiradores.

‘A quantidade de leitos de UTI que serão disponibilizados no hospital ainda depende da chegada dos equipamentos necessários para ser definida’, informou a Prefeitura.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *