quinta, 01 de outubro de 2020

Ambulantes e camelôs celebram volta ao trabalho em Maricá

A decisão pelo retorno da categoria foi anunciada, na última sexta-feira (29). Foto: Plantão Enfoco

Vendedores ambulantes e camelôs de Maricá comemoraram a autorização da retomada das atividades, em meio à pandemia do novo coronavírus na cidade. A decisão pelo retorno da categoria foi anunciada, na última sexta-feira (29), pela Prefeitura.

As expectativas dos vendedores são grandes, uma vez que a cidade começou a praticar o ‘novo normal’ com a retomada dos bares, restaurantes e do comércio em geral. Para atuar nas ruas da cidade foi desenvolvido, entre eles, um revezamento do espaço, estipulado com esquema de cores: azul e vermelha.

Atuando há mais de 20 anos como camelô nas ruas de Maricá, Claudio Fernando Gomes, de 48 anos, disse estar confiante com relação às vendas.

“Estamos otimistas com a retomada das atividades, já que estamos parados desde o início da pandemia em março. Foram meses difíceis e estar nas ruas representa novamente a renda da família”, declarou.

No primeiro dia útil de liberação, equipes da Guarda Municipal e da Subsecretaria de Posturas atuaram nas ruas da cidade, verificando as normas determinadas no decreto, como espaçamento mínimo de dois metros entre barracas e de 1,5m entre as pessoas, higienização periódica dos produtos e das barracas e oferta de álcool 70% pelos comerciantes.

A Guarda Municipal atuou também durante a tarde na aferição de temperatura dos vendedores e clientes. Na Rua Ribeiro de Almeida, no Centro, as barracas que antes ocupavam as calçadas foram posicionadas em metade da via, para evitar a aglomeração e o aumento do espaçamento dos comércios.

“Retomamos as vendas presenciais e tem sido melhor que o esperado. Temos que pedir aos consumidores para que respeitem as regras. Antes as pessoas vinham e consumiam aqui, agora retiramos os bancos e não deixamos aglomerar. Ficamos atuando com o delivery, mas acreditamos não ser a mesma coisa”, disse Alexandre Scooby, empresário do ramo de pastéis.

Para o vice-presidente da Associação Comercial de Maricá, Delfim Moreira, as calçadas são as ‘passarelas dos clientes’.

“A Associação Comercial respeita, valoriza e tem como missão a defesa dos interesses do empresariado local, incluindo o comércio ambulante que é importante não só na economia, mas também na ordenação social do município. No entanto, sempre entendemos que as calçadas são a passarela do cliente. Portanto, devem estar liberadas, principalmente nas áreas de grande movimentação. A ordenação de pontos também é importante, seguindo critérios, para que não choquem, em oferta de produtos, com o comércio estabelecido nem com o setor bancário, em segurança”, disse.

Já o presidente da Câmara de Dirigentes e Lojistas da cidade (CDL), Paulo Santos, revela que a apesar do ‘novo normal’, a pandemia ainda não acabou.

“A economia se fortalece quando as pessoas estão mais felizes. Acredito que a volta dos ambulantes passe uma mensagem para a cidade que estamos conseguindo voltar à vida, trabalhando, produzindo e aos poucos voltando ao normal. Claro que ainda não acabou, precisamos de muita responsabilidade de todos”, comentou.

O secretário de Ordem Pública e Gabinete de Gestão Institucional, tenente-coronel Júlio Cesar Veras, informou que a Guarda Municipal continuará atuando na fiscalização.

“Foi realizado um planejamento de hoje até o dia 15. A Guarda Municipal irá atuar na fiscalização da aglomeração e uso de máscaras, além do distanciamento entre as barracas”, informou.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *