quinta, 01 de outubro de 2020

Casa de Cultura quase pronta para reabertura em Maricá

Espaço já abrigou a Cadeia Pública, a Câmara Municipal e a Prefeitura. Foto: Divulgação – Prefeitura de Maricá

Na reta final de sua restauração, a Casa de Cultura, um dos principais prédios históricos de Maricá – que ficou pronto em 1841 e já abrigou a Cadeia Pública, a Câmara Municipal e a Prefeitura – recebeu nesta quarta-feira (05) a visita do diretor do Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (Inepac) Cláudio Prado de Mello.

Acompanhado da secretária de Cultura do município, Andrea Cunha, ele se disse muito bem impressionado com o andamento dos trabalhos. 

“O trabalho está sendo feito com muita dedicação e esmero. É um grande prazer acompanhar um projeto que recompõe a atmosfera do passado de um edifício tão importante, num momento em que a sociedade se desprende de sua memória”, destacou Mello, que esteve ainda em outros sítios históricos maricaenses: a Fazenda do Bananal, em Ponta Negra,  e as igrejas de São José de Imbassaí e de Nossa Senhora da Saúde, em Ubatiba. 

O diretor também afirmou ter certeza de que após a reabertura, a Casa de Cultura será um grande chamariz para que mais pessoas visitem Maricá. O Inepac também ajudará, segundo ele, na definição do uso público do espaço.

“Eventos como oficinas de artes, por exemplo, não são muito recomendados, pelo risco de sujar ou danificar o patrimônio restaurado, até por sabermos como essa restauração é difícil e cara. O ideal é que seja priorizado o uso como museu, com abertura para eventos mais dinâmicos em parte do prédio, como no salão superior”, explicou. 

De acordo com a secretária Andrea Cunha, a restauração do prédio está quase pronta – a intervenção mais importante a ser realizada nos próximos dias é a instalação de um elevador para pessoas com deficiência, já autorizada pelo próprio Inepac, uma vez que o edifício é tombado como patrimônio histórico estadual.  

“Vai ser um grande espaço da cultura. A previsão é de que a obra seja entregue em até dez dias, e depois será definida uma data, em março, para a reinauguração”, afirmou Andrea, listando os principais usos pensados para o espaço: “[A Casa] vai funcionar como museu histórico e usaremos para outros eventos o salão superior, que abrigou as sessões da antiga Câmara. Também teremos outra sala, para múltiplas ações culturais”.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *