sexta, 18 de setembro de 2020

Cedae vai realizar obras de emergência na estação do Guandu

Investimentos será de cerca de R$ 90 milhões, segundo a Cedae. Foto: Arquivo

A Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae) fará obras de proteção da captação de água da Estação de Tratamento de Água (ETA) Guandu, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. O objetivo é impedir que os rios Ipiranga, Queimados e Poços misturem suas águas ao Rio Guandu. Com investimentos de cerca de R$ 90 milhões, as obras devem ser feitas em até 720 dias após a contratação da empresa, que ficará responsável pelo projeto.

Uma avaliação realizada pelo corpo técnico da companhia constatou que, caso a medida não seja adotada, a implantação do projeto Novo Guandu ficará comprometido, uma vez que a nova estação utilizará o mesmo ponto de captação.

A Cedae informou que atual gestão identificou a necessidade urgente da obra para garantir a segurança operacional da captação da ETA Guandu e do Novo Guandu, em fase de projeto executivo. A última vez em que a Estação de Tratamento do Guandu passou por reformas foi no primeiro governo Leonel Brizola, em 1982.

Investimentos

O governador Wilson Witzel disse que a falta de pesquisas em educação, inovação e tecnologia resultou nos problemas de saneamento e outras áreas que o estado do Rio de Janeiro enfrenta atualmente. “Os governadores que passaram pelo Rio de Janeiro fecharam os olhos para um drama da população, que é a falta de saneamento”. Segundo ele, resolver esse problema não é simples. “Nós vamos precisar de mais de R$ 30 bilhões para os próximos 10 anos para poder fazer 90% de saneamento em nosso estado”.

O governador avaliou que está fazendo o “dever de casa”. “Não vamos resolver o problema em poucos dias, mas estamos dando partida”. Witzel disse que a Cedae vai ter R$ 700 milhões de investimentos já programados para modernização da Estação de Tratamento de Água (ETA) 1 e 2, e será construída a Estação Guandu 2, próximo da fonte de captação, com investimento de R$ 1,5 bilhão, para poder viabilizar os investimentos da distribuição de água e do saneamento.

(Agência Brasil)

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *