sábado, 31 de outubro de 2020

Chuva: Alagamentos em Niterói e morte no Rio

Motoristas enfrentaram dificuldades na Rua Domingues de Sá. Foto via Grupo Plantão Enfoco

As chuvas que caíram no final da noite desta segunda-feira (8) adentrou a madrugada em Niterói resultando em pontos de alagamento por diferentes bairros, inclusive em algumas localidades já conhecidas por alagar sempre que chove. Segundo a Defesa Civil do município, núcleos de chuva forte foram previstos para toda a madrugada. Niterói continua em estágio de ‘Atenção’. Entre as comunidades, os maiores índices de acumulado de chuva foram registrados no Estado, no Centro, Peixe Galo, em Jurujuba, e Cavalão, em São Francisco.

Na Zona Sul de Niterói, moradores de Icaraí relataram bolsões de água em trechos da Avenida Roberto Silveira e alagamentos principalmente nas ruas Mariz e Barros, Domingues de Sá e Lemos Cunha. Em Santa Rosa, a rua que leva o nome do bairro ficou intransitável obrigando motoristas voltarem pela contramão.

Na Zona Norte, ruas do Barreto e Engenhoca foram as mais castigadas, enquanto na Alameda São Boaventura, no Fonseca, também houve registro de alagamento, embora o canal não tenha transbordado. No Centro, apesar da chuva não houve registro de alagamento que comprometesse o trânsito de veículos, apesar do horário de baixo fluxo.

O lixo acabou misturado a chuva na Rua Mariz e Barros, em Icaraí. Foto via Grupo Plantão Enfoco.

SG

Em São Gonçalo a chuva também não deu trégua e bairros como Galo Branco, Colubandê e Neves acabaram bastante afetados. Outro transtorno relatado por moradores foi a interrupção no fornecimento de energia elétrica, segundo relatos a falta de luz em alguns bairros começou por volta de 15h30.

Rio

Uma pessoa morreu no temporal que atinge o Rio há mais de seis horas. Um motoqueiro, ainda não identificado, tentou passar pelo aguaceiro que atingiu a Rua Marquês de São Vicente, na Gávea, caiu da moto e foi arrastado pela correnteza. A informação foi confirmada pela Polícia Militar.

O município está com vários bairros completamente alagados, sem condições de tráfego. Milhares de pessoas ficaram ilhadas nos terminais rodoviários da cidade, como o Américo Fontenelle, atrás da Central do Brasil, que atende aos moradores que moram na Baixada Fluminense e Região Metropolitana do Rio.

Na comunidade Rio das Pedras, em Jacarepaguá, a força da correnteza arrastou carros e muito lixo. A chuva forte também atingiu a enfermaria do Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, alagando totalmente o andar térreo.

Resgate

O Corpo de Bombeiros trabalha com barcos resgatando pessoas ilhadas em carros, ônibus e estabelecimentos comerciais, principalmente no Jardim Botânico, uma das áreas mais atingidos da zona sul.

A concessionária Metrô Rio informou que devido ao temporal os três das linhas 1, 2 e 4 da companhia vão estender o horário de funcionamento até 1 h para atender os usuários. Normalmente, o metrô funciona até meia-noite.

Vários bairros da cidade estão com falta de energia, principalmente na Barra da Tijuca, Estrada dos Bandeirantes, em Jacarepaguá, Rio das Pedras, Recreio dos Bandeirantes e Muzema e Itanhangá.

Devido ao temporal, um novo trecho da Ciclovia Tim Maia desabou na Avenida Niemeyer, em São Conrado. Recentemente, no temporal do início de fevereiro um outro trecho da ciclovia desabou.

O prefeito Marcelo Crivella disse que a Avenida Niemeyer, que está fechada ao tráfego de veículos por medida de segurança, está com várias equipes de limpeza e defesa civil concentrados. Crivella disse que a avenida não será aberta ao tráfego de veículos na parte da manhã. Possivelmente o trânsito só será liberado na parte da tarde, informou o prefeito.

Sirenes

A Defesa Civil municipal acionou 39 sirenes em 20 comunidades, onde existem riscos de deslizamento, devido ao temporal. As pessoas devem deixar suas casas e procurar os pontos de apoio previamente designados pela prefeitura, como escolas, creches e igrejas. 

A Igreja de São José, na Lagoa, está aberta e serve como ponto de apoio para as pessoas que não conseguem se deslocar para casa. A igreja é um local seguro no bairro da Lagoa e tem um estacionamento que pode ser usado pelos motoristas com dificuldade de deslocamento.

(com Agência Brasil)

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

1 thought on “Chuva: Alagamentos em Niterói e morte no Rio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *