domingo, 25 de outubro de 2020

Ciclistas pedem respeito no trânsito, em São Gonçalo

O ato aconteceu na Avenida Jornalista Roberto Marinho, em Alcântara. Foto: Marcelo Tavares

Um grupo de ciclistas realizou, na manhã deste domingo (18), um ato para conscientizar os motoristas sobre o respeito à lei de trânsito que recomenda uma distância mínima de 1,5m deles. A ação aconteceu na Avenida Jornalista Roberto Marinho, antiga Avenida Maricá, no bairro Alcântara, em São Gonçalo. 

A manifestação contou com cerca de 20 pessoas que utilizaram faixas com mensagens “Ciclistas Também Sangram”, “Motorista respeite o ciclista”, “Proteja o Ciclista, Uma Vida em Duas Rodas”, entre outras. 

O evento foi promovido por praticantes do esporte em decorrência de acidentes, como o da moradora do Jardim Alcântara, Ariana da Silva Moreira, que foi atropelada por um veículo de passeio em julho deste ano, na mesma avenida onde ocorreu o ato, e agora tem que usar cadeira de rodas para se locomover. 

“Eu sou vítima, como muitos outros ciclistas, só que muitos têm o hábito de se calar, mas dessa vez escolheram a pessoa errada para atropelar. Eu falei: alguma coisa precisa ser feita! Até porque eu sou mãe de dois filhos, eu sou o homem da minha casa. Busquei ajuda dos amigos que também são ciclistas para juntos nós reivindicarmos nossos direitos”. 

Com o acidente, Ariana fraturou a fíbula em dois lugares e a tíbia. Por conta disso, ela, que trabalha como zeladora em uma escola durante o turno da manhã e é vendedora de salgados à noite, está afastada das atividades. 

Foto: Marcelo Tavares

Apesar do ocorrido, além da cena do acidente, o que ela não consegue apagar da memória foi a forma que foi tratada no hospital onde foi atendida. 

“Quando eu cheguei no hospital, eles falaram: ‘Ah! É só um ciclista’. Mas só que ciclista também sangra, ciclista tem família e trabalha. Nós optamos pelo ciclismo por mobilidade e economia e mesmo assim nós não temos valor”, contou. 

Aumento no número de atropelamentos

Segundo o último levantamento feito pela Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet), em julho deste ano, o número de atendimentos hospitalares a ciclistas atropelados cresceu 57% entre 2010 e 2019. O número passou de 1.024 em 2010, para 1.610 em 2019.

Já até o mês de junho de 2020 foram pelo menos 690 internações registradas no Sistema Único de Saúde (SUS). Nos últimos dez anos, foram quase 13 mil internações e R$ 15 milhões a cada ano no tratamento de ciclistas que colidiram com motocicletas, automóveis, ônibus, caminhões e outros veículos de transporte. 

De acordo com o artigo 201 do Código de Trânsito Brasileiro, deixar de guardar a distância lateral de 1,5m ao passar ou ultrapassar bicicleta é uma infração média, com penalidade de multa.  

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *