quinta, 22 de outubro de 2020

Clima esquenta na Câmara de Maricá

Vereador Felipe Auni afirmou que “daria muito tiro” em caso de invasão à sua casa. Foto: Divulgação/ Câmara de Vereadores de Maricá

A semana começou quente na Câmara Municipal de Maricá. Vereadores protagonizaram momentos de tensão durante o veto de uma moção de repudio do vereador Ricardinho Netuno. Segundo ele, o repúdio à imprensa se refere a divulgação de que ele teria invadido um galpão na cidade onde se encontravam lanchas compradas pela Prefeitura. A moção foi vetada por unanimidade, apenas um vereador não esteve presente. durante a derrubada, o vereador Felipe Auni chegou a dizer que já passou por situação parecida e que se fosse o caso dele ter sua casa invadida, sua reação seria “dar muito tiro”.

“Eu já passei por esse problema na legislatura anterior, quando não fui permitido fiscalizar um local, e tive que solicitar às autoridades. No meu entendimento, a vossa excelência deveria ter solicitado à polícia ou à Prefeitura para que um responsável acompanhasse a visita. Se alguém entrar na minha casa sem eu dar autorização, pela lei e tendo arma legalizada, você pode sentar o dedo. Eu daria muito tiro, com certeza. A lei nos garante a defesa de invasão”, disparou o vereador.

Em sua defesa, Netuno voltou a dizer que teve o acesso liberado, embora não tenha pedido autorização formal para a entrada.

“A principal diferença é que o servidor que o atendeu não liberou o acesso, no meu caso, a pessoa que se identificou como responsável permitiu a minha entrada e me mostrou o caminho. Se eu não tivesse sido liberado, eu teria ido até a polícia para garantir o meu direito de fiscalizar. Estão tentando me inibir, mas isso só me dá mais força ainda, porque eu estou fazendo o que é certo”, disse o vereador.

O líder do governo, Fabrício Bittencourt, tentou acalmar os ânimos e justificou o veto ao propor um protocolo de fiscalização, solicitado ao presidente da Casa, o vereador Aldair de Linda: “Entendo que a liberdade de imprensa sempre é mais importante”.

Todos os vereadores presentes na sessão, com exceção do Chiquinho – que se ausentou durante a votação – foram contra a moção, que foi vetada.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *