sexta, 18 de setembro de 2020

Coronavírus: suspeita descartada em Niterói

Paciente estava internado com suspeita do vírus. Foto: Marcelo Tavares
Paciente estava internado com suspeita do vírus. Foto: Marcelo Tavares

A suspeita de um paciente com Coronavírus em Niterói foi descartada na tarde desta terça-feira (4) pelo Complexo Hospitalar de Niterói (CHN).

De acordo com a unidade hospitalar, uma criança, de um ano e meio, deu entrada na Emergência Pediátrica com quadro respiratório e febre nesta segunda-feira (4). Como a família tinha vindo recentemente da China, via Tailândia, o CHN informou que adotou o protocolo preconizado pelos órgãos de saúde.

A criança foi internada e ficou em isolamento para investigação diagnóstica. Porém, segundo o hospital, o resultado do painel viral apontou se tratar de Rhinovirus, auxiliando assim na exclusão do diagnóstico de Coronavírus.

A criança recebeu alta hospitalar no final da tarde desta terça-feira (4). O CHN esclarece que cumpriu todos os protocolos do Ministério da Saúde.

Suspeitas no País

O Ministério da Saúde investiga 13 casos suspeitos de infecção por coronavírus no Brasil. Até o momento, 16 casos foram descartados. De acordo com o último balanço da pasta, apresentado pelo secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira, estão sob suspeitas um caso no Rio de Janeiro, quatro no Rio Grande do Sul, dois em Santa Catarina e seis em São Paulo.

Desde o início da epidemia, foram confirmados 20.704 casos (99,2% na China), com 427 óbitos. A taxa de mortalidade do coronavírus 2019-nCoV é de 2,1%. Até o momento, há 2.788 casos de pessoas infectadas em estado grave. Todos na China. Desses, 492 são novas ocorrências. A província de Hubei continua sendo amais afetada: 66% dos casos ocorridos.

Wuhan

Nesta terça-feira, o governo brasileiro encaminhou projeto de lei que detalha as medidas sanitárias para enfrentamento do coronavírus e as regras para a repatriação e quarentena no Brasil dos cerca de 40 cidadãos brasileiros que estão no epicentro do surto, a capital da província de Hubei, Wuhan.

O embaixador chinês no Brasil, Yang Wanming, disse hoje, em reunião com ministros do governo brasileiro que seu país facilitará a retirada desses brasileiros.

Vírus

Os coronavírus são conhecidos desde meados dos anos 1960 e já estiveram associados a outros episódios de alerta internacional nos últimos anos. Em 2002, uma variante gerou um surto de síndrome respiratória aguda grave (Sars) que também teve início na China e atingiu mais de 8 mil pessoas. Em 2012, um novo coronavírus causou uma síndrome respiratória no Oriente Médio que foi chamada de Mers.

A atual transmissão foi identificada em 7 de janeiro. O escritório da Organização Mundial de Saúde (OMS) na China buscava respostas para casos de uma pneumonia de etiologia até então desconhecida que afetava moradores na cidade de Wuhan. No dia 11 de janeiro foi apontado um mercado de frutos do mar como o local de origem da transmissão. O espaço foi fechado pelo governo chinês.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *