sábado, 23 de janeiro de 2021

Covid-19: Maricá reabre tendas com mais médicos

Posto atendimento, hospital, maricá
Polo para atendimento de pacientes com Covid-19 em Itaipuaçu. Foto: Arquivo/ Marcelo Tavares

A secretária de Saúde de Maricá, Simone Costa, anunciou, durante coletiva de imprensa no Maricá Esporte Clube, na manhã desta quinta-feira (3), que o município aumentou o número de médicos nos polos de atendimento para Covid-19 e também reiniciou a capacitação de profissionais da saúde.

“Estamos com um aumento do número de internações nas unidades e, por isso, estamos tomando algumas medidas. Fechamos os polos, na época, porque tínhamos uma diminuição de casos”, afirmou, referindo-se a reabertura das tendas de Inoã e de Itaipuaçu.

Sobre as tendas, a secretária afirmou que a de Inoã começará a atender na próxima segunda-feira (07) e ficará localizada ao lado da Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

Já a tenda de Itaipuaçu ficará instalada nas ruas 8 e 9 nas esquinas de ambas com a Rua 34, mesmo lugar onde estava montada até 31 de agosto quando foi desmontada.

De acordo com a prefeitura, os polos de atendimento, funcionam todos os dias com horário de atendimento de 8h ás 20h. No pólo do Centro, a secretária esclareceu que contará com quatro médicos e que esse número pode diminnuir se a demanda acompanhar. Os outros polos, seguem com o atendimento realizado por dois médicos.

O polo de São José de Imbassaí que também foi desmontado em agosto, não será remontado. Segundo a secretária, não será necessário já que o bairro é coberto 100% pela Estratégia de Saúde da Família (ESF).

No Hospital Municipal Ernesto Che Guevara, a secretária afirmou que 20 novos leitos entraram em operação e que a unidade dispõe de 70 leitos.

“Não está faltando leito em Maricá e diariamente recebo telefonemas pedindo transferências para a nossa cidade”, destacou.

Também durante a coletiva, a secretária anunciou que Maricá testou cerca de cinco mil profissionais de educação, sendo o primeiro município fluminense a realizar testes com professores das redes municipais e estaduais.

“Não sabemos como será a volta, porque ainda não acabou. Então, saímos na frente e testamos até profissionais da rede particular”, frisou.

Sobre a demora na divulgação dos resultados, Simone destacou que a cidade tem um gerenciador de ambiente laboratorial que é ligado ao E-SUS do Governo Federal e que o mesmo apresentou um problema no fim de novembro.

“Estamos há dez dias com uma força tarefa e acredito que até a próxima sexta (12) já vamos corrigir essa demora”, finalizou. 

Medidas restritivas

O secretário de Comunicação, Olavo Noleto, garantiu que o município não vai mudar as medidas restritivas que já estão em vigor. 

“O que a gente pede é que todos tenham uma conscientização quando sair na rua. O cuidado não acabou e deve ser redobrado”, destacou. 

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *