terça, 20 de outubro de 2020

Desafio da Rasteira e o alerta aos pais sobre vídeos no Youtube

No desafio, a vítima cai sem qualquer defesa. Reprodução/Youtube

A ‘brincadeira’ que viralizou na internet tem chamado a atenção de pais e responsáveis por conta do perigo proporcionado aos participantes. Educadores e profissionais da área de psicologia alertam para os riscos do “Desafio da Rasteira”, capaz de provocar graves lesões e até a morte.

A brincadeira começou nos Estados Unidos, mas foi amplamente divulgada pela web através de youtubers no Brasil. No ‘Desafio da Rasteira’ o alvo pula entre duas pessoas, após alguns pulos a vítima recebe uma rasteira. A forma como a ação é feita não permite defesa por parte da vítima e com o impacto pode bater com a cabeça ou qualquer outra parte do corpo.

A Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro fez alerta para os riscos do desafio em seu perfil pelas redes sociais. Na campanha “Amigos não te fazem cair, eles te ajudam a se levantar” crianças do colégio da PM alertam para a brincadeira de mau gosto.

De acordo com o psicólogo Vitor Friary, da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, pais e filhos precisam fortalecer o diálogo para conscientização. Nele, deve ser incluído que toda ação tem consequência e compartilhar com os jovens suas preocupações sobre vídeos que estimulam o ódio, preconceito, medo e a violência.

“Quanto mais aberta e consciente as conversas entre pais e filhos, maiores são as chances de serem desenvolvidas atitudes de vida saudáveis. Assim, é possível desenvolver nas crianças uma atitude de mais respeito, bondade e compaixão na relação com os outros”, explicou.

Bullying

O especialista também alertou sobre o bullying, que deve ser tratado em casa na base de diálogos onde pais pedem a colaboração dos filhos para analisarem os prós e contras de cada comportamento.

“O desafio da rasteira demonstra quanto o bullying é visto como normal e como brincadeira. Tanto o ambiente escolar e familiar devem incluir as crianças e jovens nos debates sobre o que é o bullying, violência, e brincadeiras que não são saudáveis, bem como suas consequências”, concluiu.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *