sexta, 04 de dezembro de 2020

‘Descanse em paz’: tarefa difícil em Itaipu

Sepulturas quebradas e mato alto são algumas das reclamações (Foto: CCRON/Rede Social)

A situação de abandono vem gerando reclamação entre parentes de falecidos e de quem mora no entorno do Cemitério Municipal São Lázaro, em Itaipu, na Região Oceânica de Niterói. A falta de vigilância, a precariedade na limpeza, a escassez na iluminação e túmulos quebrados são os principais alvos da insatisfação. Registros de túmulos quebrados e mato alto foram divulgadas nas redes sociais e criaram polêmicas.

“É um absurdo um cemitério de responsabilidade da prefeitura estar abandonado assim. Isso é uma vergonha. Não respeitam nem mesmo os mortos. É triste saber que pessoas importantes para nós estão sepultadas nesse lixo”, reclamou uma internauta.

De acordo com a Prefeitura de Niterói, a Empresa Municipal de Moradia, Urbanização e Saneamento (Emusa) prepara ainda para este mês de março o lançamento de um edital de licitação para contratação de empresa que ficará responsável pelas obras de reforma e ampliação do cemitério.

A prefeitura ainda esclareceu que 90% das sepulturas dos cemitérios municipais são perpétuas, de propriedade particular, sendo a manutenção dos jazigos de responsabilidade do proprietário.  

“A Companhia de Limpeza de Niterói (CLIN) realiza periodicamente a limpeza e capina do local. A última foi feita no início de fevereiro e já existe outra prevista para este mês”, explicou.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *