quarta, 28 de outubro de 2020

Dia D contra sarampo acontece em Niterói e São Gonçalo

Vacinação acontece até as 17h. Foto: Wallace Rosa

O dia D acontece em diferentes pontos nas cidades de Niterói e São Gonçalo. A iniciativa faz parte da Secretaria de Estado de Saúde que promove neste sábado o Dia D contra o Sarampo, ao todo 658 casos foram registrados no estado desde o ano passado, 412 foram registrados em crianças com até nove anos, ou 62,6%. E, até o momento, apenas 23,3% da meta de vacinados foi alcançada.

Em Niterói a vacinação acontece nas salas de vacina do município, distribuídas nas policlínicas regionais, unidades básicas de saúde e módulos do Programa Médico de Família em todo município e vai até as 17h. Na cidade foram registrados 21 casos da doença. Na Policlínica Regional da Engenhoca, na Zona Norte da cidade, registrou uma procura menor neste sábado. Até as 13h cerca de 25 pessoas se vacinaram no local.

“Muita gente tem vindo se vacinar ao longo da semana, o primeiro de vacinação fila foi formada, agora a maioria das pessoas já se vacinaram e por isso a tranquilidade”, explicou uma enfermeira, que preferiu não se identificar.

A gerente de loja, Kauana Medeiros, 32 anos, foi acompanhada do filho e do marido se vacinar.


“Esta tendo surto de Sarampo no Brasil e por isso acho muito importante vir me vacinar. Trouxe meu filho de 7 anos, mas ele foi o único que não precisou se vacinar, pois estava com tudo em dia. Agora me sinto mais protegida”, disse.

Em São Gonçalo, em 2019, 59.290 doses da vacina contra o sarampo foram aplicadas. Este ano, desde janeiro, o município já aplicou 46.561. Até as 17h, a vacinação acontece em 70 salas de vacinação espalhadas no município.

O secretário de Estado de Saúde, Edmar Santos, afirma que o risco da doença é real e por isso a necessidade da vacinação.

“A Secretaria Estadual de Saúde age desde o ano passado de forma preventiva com relação ao sarampo. Antecipamos o início da campanha, promovemos o primeiro Dia D em fevereiro, e treinamos médicos, enfermeiros e técnicos para identificar sintomas da doença. Também utilizamos caminhões itinerantes para percorrer várias cidades e instalamos pontos fixos de vacinação em locais com grande circulação de pessoas, como a Rodoviária Novo Rio, Aeroporto Santos Dumont, estação de metrô, entre outros. Os cidadãos fluminenses precisam se vacinar contra o sarampo, pois o risco é real”, explicou

Casos em que a vacina não deve ser administrada

Pessoas que apresentarem doenças agudas febris moderadas ou graves recomenda-se adiar a vacinação até modificação do quadro com o intuito de não se atribuir à vacina as manifestações da doença. Também não é indicado o imunizante a quem recebeu imunoglobulina, sangue e derivados, transplantados de medula óssea, e também a quem apresenta alergia ao ovo e gestantes.

Dia D

Desde o início da campanha, que começou em 13 de janeiro, cerca de 700 mil pessoas foram imunizadas em todo o estado, apenas 23,3% da meta definida pelas autoridades sanitárias estaduais.

Devem ser vacinadas pessoas de seis meses a 59 anos que nunca receberam a dose da vacina ou que estavam com o calendário vacinal incompleto. As doses são aplicadas nas salas de vacina do município, distribuídas nas policlínicas regionais, unidades básicas de saúde e módulos do Programa Médico de Família.

O sarampo é uma doença infecciosa exantemática aguda, transmissível e contagiosa, podendo evoluir com complicações e óbito. A transmissão ocorre de pessoa a pessoa, por meio de secreções respiratórias. A vacina é a única forma de prevenção.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *