sexta, 27 de novembro de 2020

Dia de São Jorge sem comemorações em Niterói

Procissão costuma reunir milhares de pessoas do município. Foto: Arquivo

Com as portas fechadas para evitar aglomerações desde o início da pandemia, as capelas de São Jorge precisaram mudar a forma de homenagear o santo guerreiro nesta quinta-feira (23).

Em Niterói, as celebrações na Capela de São Jorge, no Centro, costumavam reunir cinco mil pessoas entre alvorada, missa campal e procissão pela região central. O pároco Wallace Dahan dos Santos, para proteger a saúde dos fiéis, decidiu suspender todas as atividades.

Pela primeira vez em treze anos, está suspensa a tradicional missa na capela do Batalhão de Niterói, de acordo com o comandante Syvio Guerra. A missa pelo santo protetor dos policiais costumava reunir mil devotos.

A pandemia também fez a bancária Célia Régina, de 59 anos, adiar a tradicional feijoada que organizava há uma década em agradecimento ao santo no bairro de Tenente Jardim, na Zona Norte de Niterói.

Célia reunia cerca de 150 familiares e amigos para celebrar o padroeiro ao som de Pra São Jorge, do Zeca Pagodinho, e custeava seis panelões de feijoada em devoção. A celebração iniciava logo cedo, com fogos.

“Esse ano não vou fazer nada, mas assim que passar tudo vamos nos reunir para agradecer a São Jorge pelo fim desse período. Nesse momento a gente está se apegando a Deus e pedindo intercessão de São Jorge para que essa pandemia acabe logo”, afirmou.

São Gonçalo

Em São Gonçalo, os padres buscaram uma alternativa. A capela de São Jorge no Lindo Parque abrirá as portas das 6h às 12h durante o feriado para visitações e devoções. No entanto, haverá controle de acesso.

A capela fará uma missa às 15h, sem público e com transmissão ao vivo pelo canal da paróquia. No Colubandê, que reunia o maior público entre as celebrações de São Gonçalo, não há previsão de celebrações.

Quintino

A principal celebração na região será a da Igreja Matriz São Jorge, em Quintino Bocaiúva, na zona norte do Rio. O local concentrava, a cada ano, em média, meio milhão de pessoas nas festividades. No local, a celebração era sincrética.

O pároco Dirceu Rigo orientou os devotos a homenagear São Jorge longe das ruas. A igreja avalia transferir as festas para o santo para agosto ou setembro deste ano.

Das tradicionais festas para o padroeiro das terras fluminenses, alvorada foi mantida. A igreja niciar a alvorada às 5h, com toque de clarinete e sinos. Haverá missas às 10h, 15h e às 18h, mas serão fechadas e transmitidas pelas redes sociais da matriz.

Outro ponto tradicional de celebração no Rio, a Igreja de São Gonçalo Garcia e São Jorge, na Praça da República, não fará celebrações. A igreja abriga a imagem de São Jorge.

Publicada às 13h05

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *