terça, 24 de novembro de 2020

Escolas de Maricá sem aulas devido às chuvas

Teto da quadra da Escola Municipal Lúcio Thomé Guerra Feteira, no bairro Cordeirinho, veio abaixo. Foto via Plantão Enfoco

Maricá foi bastante afetada pelo temporal que caiu na noite de segunda-feira (25) com vários pontos de alagamento. De acordo com a Secretaria Municipal de Proteção e Defesa Civil, em uma hora foram 77 mm de precipitação. Com isso, 80% das escolas municipais suspenderam as aulas nesta terça-feira (26), segundo a prefeitura, por conta dos estragos provocados pela chuva e ventania. Ao todo, Maricá conta com 63 unidades escolares.

No vídeo, as imagens da ventania que destruiu casas e estabelecimentos em Maricá (Vídeo enviado via Grupo Plantão Enfoco)

Devido aos fortes ventos, com rajadas de 80 km/h, os tetos de algumas unidades de ensino e estabelecimentos desabaram, como foi o caso da Escola Municipal Lúcio Thomé Guerra Feteira, no bairro Cordeirinho, que
teve a cobertura de sua quadra de esportes destruída, além de salas de aula e cozinhas alagadas.

Ainda no mesmo bairro, a queda de uma árvore atingiu a CEIM Marilza da Conceição Rocha Medina causou grande estrago à creche, que também teve as aulas canceladas até o fim da semana.

Segundo a secretária de Educação, Adriana Luiza, nesta quarta-feira (27) as aulas serão mantidas nas seguintes escolas: CEM Joana Benedicta Rangel (Centro), CEIM Prof. José Carlos de Almeida e Silva (Inoã), Lucimere Rodrigues de Melo (São José do Imbassaí), Maurício Antunes de Carvalho (Boqueirão), Ministro Luiz Sparano (Spar), Prof Romilda dos Santos (Centro) e Creche do Boqueirão.

CEIM Marilza da Conceição Rocha Medina, também no bairro Cordeirinho, está sem aulas (Foto via Grupo Plantão Enfoco)

Aeroporto

Além de casas, unidades de ensino e estabelecimentos comerciais, até o Aeroporto de Maricá acabou afetado pelas chuvas. A cobertura do hangar do aeroporto caiu. Trabalhos de retirada dos destroços já estão sendo realizados. Segundo a prefeitura, ninguém se feriu e não haviam voos programados de operação offshore nesta terça-feira.

De acordo com a Companhia de Desenvolvimento de Maricá (Codemar), administradora do aeroporto, a ventania não prejudicou as operações. O aeroporto se manteve aberto e operacional durante todo o dia. Já o hangar afetado pela ventania ficará fechado enquanto um laudo técnico é preparado.

Queda de árvores

De acordo com a prefeitura, foram retiradas 250 árvores caídas nas ruas. Os bairros mais atingidos foram Centro, São José do Imbassaí, Itapeba, Retiro, Marquês, Manoel Ribeiro e Ponta Negra. Equipes da Conservação estão se deslocando para os pontos atingidos para a retirada de árvores, galhos, telhas e fiação pela cidade.

Uma árvore caiu nas proximidades da Secretaria de Proteção e Defesa Civil (Foto: Divulgação/Prefeitura)

Uma moradora do bairro Araçatiba teve o muro da casa derrubado por conta da queda de uma árvore, que também atingiu seu veículo e a varanda da residência de seu vizinho.

“Nós ouvimos um barulho, quando saímos vimos o estrago que havia acontecido. Moro aqui há cinco anos e nunca tinha visto um cenário igual a esse”, disse a cuidadora de idosos Bárbara Meirelles.

Em São José do Imbassaí, a ventania causou estragos em um posto de gasolina, na Rodovia RJ-106. Além de uma bomba de combustível que foi arrancada, o teto também ficou danificado por conta da chuva.

Ventania arrancou uma bomba de combustível de um posto em São José do Imbassaí (Foto via Plantão Enfoco)

Energia elétrica

Outro problema gerado pelo temporal foi a interrupção no fornecimento de energia elétrica. Moradores da cidade alegam terem ficado mais de 12 horas no escuro.

A Enel, concessionária responsável pela distribuição de energia na região, informa que “até o momento 70% dos clientes afetados já tiveram o serviço normalizado e as equipes continuam trabalhando para restabelecer a energia dos demais clientes o mais rápido possível”.

Desabrigados

Equipes da Secretaria Municipal de Habitação e Assentamentos Humanos de Maricá estão atuando com a Defesa Civil no atendimento a famílias desabrigadas ou desalojadas. Até o momento são dois casos de famílias desabrigadas, nos bairros do Retiro e em Ubatiba. A Secretaria de Iluminação Pública também alocou todo o efetivo para a recuperação das redes e pontos afetados.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *