domingo, 29 de novembro de 2020

Estado do Rio adota medidas mais restritivas

Governador do Estado do Rio, Wilson Witzel. Foto: Arquivo/Agência Brasil

Nesta sexta-feira (8), o governador do Estado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, autorizou a implementação de barreiras sanitárias permanentes nas ruas de acesso ao Estado. O objetivo é a verificação compulsória de pessoas contaminadas, durante o plano de contingência para combate da Covid-19, causada pelo novo coronavírus.

Segundo texto publicado no Diário Oficial, as barreiras serão implantadas seguindo critérios do Executivo sempre que considerar a medida necessária para o enfrentamento da doença.

A barreira sanitária deverá ser implantada mediante ação conjunta do Departamento de Transportes Rodoviários do Estado do Rio de Janeiro (Detro), Polícia Militar e Secretaria de Estado de Saúde.

As barreiras sanitárias poderão ser instaladas, prioritariamente, próximas aos logradouros de acesso de aeroportos, portos, rodoviárias, em rodovias ou qualquer outro ponto que o poder público considerar conveniente.

Os casos de constatação de pessoas com sintomas de possível contaminação e os casos de contaminação detectados nas barreiras sanitárias deverão ser imediatamente encaminhados à unidade de saúde mais próxima e notificados à Secretaria de Estado de Saúde, para compor os relatórios diários de avanço da doença no Estado.

Ministério Público

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) oficiou na quarta-feira (6) ao Governador do Estado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, o estudo da Fiocruz sobre a necessidade de adoção de medidas de lockdown.

Em resposta, nesta quinta-feira (7) Witzel remeteu ao MPRJ um ofício, ressaltando que o Conselho de Experts que o assessor indicou que o aumento dos casos graves de Covid-19 no estado do Rio de Janeiro está caminhando para o consequente colapso do sistema de saúde e que este aumento ainda não atingiu o seu auge.

E também mostrou que, ao que tudo indica, os esforços empreendidos para ampliar a rede de serviços de saúde têm sido insuficientes para estabelecer uma retaguarda segura diante do aumento de casos graves.

O conselho também constatou que a população fluminense não aderiu gradualmente, na proporção em torno de 70% que se esperava, às medidas de isolamento social ampliado já decretadas, resultando em frequentes aglomerações em diversas localidades, bairros e municípios.

Finalmente, o conselho também reconheceu que a experiência internacional mostrou que o aprofundamento das medidas restritivas foram fundamentais para a redução do número de casos e óbitos. Desta forma, informou à chefia do Executivo fluminense que determinou a elaboração de uma proposta de conteúdo com subsídios para que seja decretado o lockdown – isolamento total – no Estado do Rio de Janeiro, com detalhamento de algumas ações em estudo.

O Governador ressaltou que apresentará ainda informações complementares ao MPRJ em resposta à Recomendação n° 24/2020-FTCOVID-19/MPRJ.

Publicada às 9h25

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *