quinta, 29 de outubro de 2020

Estudos para implantação do BRS de SG em execução

O contrato para estudos e projetos para a implantação do BRS e ciclovia em São Gonçalo já está na quarta etapa. O prefeito da cidade, José Luiz Nanci, conseguiu garantir a retomada do projeto em abril de 2018, após encontro com representantes da Secretaria Nacional de Transporte e Mobilidade Urbana, em Brasília. Os recursos são oriundos do Ministério de Desenvolvimento Regional, através da Caixa Econômica Federal.

Estudo está na quarta etapa. Foto/Divulgação: Prefeitura de São Gonçalo

O projeto do BRS, que está sendo elaborado pelo consórcio Coba Logit, consiste na criação de um binário aproveitando o eixo desativado da antiga linha férrea e o sistema viário do município. O binário deverá ser composto por faixas exclusivas destinadas ao transporte coletivo, com uma linha principal ligando Neves a Alcântara (que também receberá a ciclovia), além de linhas alimentadoras.

“Eu nunca desisti deste projeto. Melhorar a mobilidade urbana de São Gonçalo é uma das prioridades do meu governo. A construção do BRS é uma alternativa positiva, pois não cria obstáculos para a implantação da Linha 3 do Metrô no futuro, alternativa que, neste momento, encontra-se mais distante devido às dificuldades financeiras do Governo Federal. O BRS evita a ocupação indevida do leito ferroviário e promove benefícios à mobilidade urbana municipal”, ressalta o prefeito. 

Até o momento, as três primeiras etapas de estudos já abordaram: levantamento de informações e pesquisas, análise do sistema, elaboração e análise de alternativas e levantamentos topográficos e cadastrais.
Nesta quarta etapa do projeto estão sendo realizados: estudo funcional, prospecção geotécnica, consolidação e estudo do traçado, estudos topográficos, cadastrais e preparação dos elementos, estudos hidrológicos, estudos geológicos e geotécnicos, e caracterização do pavimento existente.

Alguns dados ainda estão sendo levantados, como análise de número de passageiros, composição de todas as linhas e traçado. Apenas após o término e conclusão da elaboração dos projetos, será possível pleitear recursos para execução das obras junto ao Ministério de Desenvolvimento Regional.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *