quarta, 28 de outubro de 2020

Expectativa de melhorias no saneamento básico em Pendotiba

A unidade terá capacidade para tratar aproximadamente 4 mil litros de esgoto por minuto. (Foto: via Grupo Plantão Enfoco) 

O prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, visitou nesta quarta-feira (24), as obras da nona Estação de Tratamento de Esgoto, a ETE Sapê, em Pendotiba. A construção, que é uma parceria com a concessionária Águas de Niterói, conta com um investimento de R$ 36 milhões.

A unidade terá capacidade para tratar aproximadamente 4 mil litros de esgoto por minuto, atendendo os bairros Sapê, Ititioca, Santa Bárbara e Caramujo.

A cidade, que já conta com 100% de água tratada, chegará a 97% de cobertura em tratamento de esgoto com a operação da nova estação, que será inaugurada no Dia Mundial do Meio Ambiente, em 5 de junho. 

A meta é atingir 100% do esgoto coletado e tratado em 2020 e se manter como o município que tem o maior índice do Estado do Rio. Durante a vistoria, Rodrigo Neves enfatizou que, em 2013, realizou parceria com a concessionária Águas de Niterói para antecipar investimentos previstos inicialmente para 2026 e assegurar que a cidade ganhasse cobertura de água e esgoto antes do previsto.

Foram R$ 150 milhões de investimentos neste período, com estações consideradas como as mais modernas do Brasil. O prefeito destacou iniciativas como o reservatório na Região de Pendotiba, com dois milhões de litros de água, e a ETE Maria Paula, que atende os bairros do Matapaca e de Maria Paula.

Ele citou ainda a duplicação do abastecimento de água da Região Oceânica, atualmente com capacidade de três milhões de litros, acompanhando o crescimento sustentável da Região, além da construção de adutoras no Barreto e em Jurujuba, duas importantes unidades de ponta de linha que passaram a levar água para bairros que sofriam com a falta de abastecimento.

“Fizemos um esforço muito grande e planejamento integrado para a universalização do serviço de água e esgoto. Nossa meta é chegar a 100% do esgoto coletado e tratado em 2020”, afirmou Neves.

“Conseguimos levar abastecimento regular para muitos bairros. A distribuição correta, atrelada a serviços e investimentos, contribui também para reduzir a mortalidade infantil. A coleta e o tratamento adequados de esgoto também preservam nossos mananciais de rio e lagoas. Por isso, estamos nessa parceria para garantir cada vez mais qualidade de vida para a população”, completou.

O prefeito destacou também os resultados obtidos com relação à balneabilidade do mar nos bairros de Icaraí, Jurujuba e São Francisco, por conta da modernização das ETEs e do Programa Enseada Limpa.

Os resultados permitiram um salto de 10% para 60% de águas limpas, na maior parte do mês. A balneabilidade fica comprometida durante as chuvas, devido ao recebimento de resíduos de outros municípios que margeiam a Baía de Guanabara e recebem tratamento como Niterói.

Neves pontuou ainda a importância do Projeto Se Liga, realizado em parceria com o Instituto Estadual do Ambiente, a Prefeitura e a concessionária Águas de Niterói. O projeto vem fazendo com que milhares de residências sejam vistoriadas e tenham a sua rede de esgoto conectadas corretamente.

“A ETE de Maria Paula, por exemplo, recebe, hoje, profissionais e professores de diversas partes do mundo buscando informações sobre o tratamento realizado em Niterói. Saneamento é qualidade de vida e sabemos que com esses investimentos nessa nova estação do Sapê chegaremos a 97% de cobertura de esgoto na cidade”, pontuou o superintendente da Águas de Niterói, Alexandre Boaretto.

Melhores índices

Niterói é a única cidade do estado do Rio de Janeiro que tem os serviços de saneamento básico rumo à universalização, de acordo com o último Ranking da Universalização do Saneamento desenvolvido pela Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes).

Com 100% de abastecimento de água e 94,78% de coleta de esgoto (desse total, 100% são tratados), Niterói se consolida como o município com os melhores índices do Estado.

O ranking da Abes classifica as cidades brasileiras por meio de indicadores de abastecimento de água, coleta e tratamento de esgoto, coleta e destinação de resíduos sólidos.

Quando a Águas de Niterói, empresa do Grupo Águas do Brasil, assumiu os serviços de saneamento básico no município, em 1999, a água só chegava a 72% da população, e a cobertura de esgoto era de apenas 35%.

Em quatro anos de concessão, a empresa universalizou o fornecimento de água na cidade, abastecendo mais 150 mil pessoas com a mesma quantidade de água. O índice de perdas de água, que era de 40% no início da concessão, chegou a 16%, índice considerado internacional.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *