quinta, 22 de outubro de 2020

Falta de luz gera protestos e fecha túnel em Niterói

Túnel chegou a ficar fechado no sentido Cafubá. Foto via Grupo Plantão Enfoco

Pelo menos 50 moradores da comunidade do Preventório, em Charitas, fecharam na noite desta segunda-feira (29) um trecho do túnel Charitas-Cafubá. A interdição foi realizada como parte de manifestação por conta da falta de luz desde a noite deste domingo.

Segundo a Niterói Transportes e Trânsito (NitTrans) o trânsito no sentido Região Oceânica do túnel Charitas-Cafubá foi liberado às 20h10. Deste modo, os dois sentidos do túnel já estão abertos. O fluxo segue sem interdição também na Estrada da Cachoeira e na Avenida Fernando de Oliveira Rodrigues, a antiga Avenida 7.

Segundo a Guarda Municipal, o protesto na Avenida Prefeito Silvio Picanço começou por volta das 17h30, quando moradores da comunidade atearam fogo em pedaços de madeira e interditaram parte da pista no sentido Região Oceânica do túnel.

De acordo com os moradores, a interrupção no fornecimento de energia elétrica prejudicou, além dos moradores da comunidade, o Centro Integrado de Educação Pública 449, Governador Leonel Moura Brizola – Intercultural Brasil-França, que fica no final da Travessa Santa Cândida. A unidade de ensino teve às aulas prejudicadas durante todo o dia.

Trânsito

Por conta do ocorrido, o trânsito precisou ser desviado para as avenidas Presidente Roosevelt e Rui Barbosa. Motoristas que trafegam nas vias próximas, enfrentam engarrafamento desde a Avenida Jornalista Alberto Francisco Torres, em Icaraí. A Estrada Leopoldo Fróes, que liga Icaraí a São Francisco, também tem retenções.

A Estrada Pacheco de Carvalho, Francisco da Cruz Nunes sentido Região Oceânica e Av. Raul de Oliveira Rodrigues seguem com fluxo intenso e pontos de lentidão. Agentes da NitTrans contam com o apoio da Polícia Militar para o ordenamento das vias afetadas.

No Sapê, a Estrada Washington Luiz foi completamente interditada. Foto: Wallace Rosa

Outros dois protestos também foram registrados na noite desta segunda, nos bairros do Sapê e Piratininga, onde moradores também relataram falta de luz. Ainda na RJ-104, no sentido Alameda, um pequeno grupo de manifestantes ocupa meia-pista do trânsito. Uma faixa foi interditada.

Na Avenida Washington Luís, no Sapê, cerca de 100 manifestantes queimaram pneus na pista. De acordo com os moradores, o protesto é uma forma de chamar atenção da concessionária responsável pelo fornecimento de energia na região.

“Os alimentos da minha geladeira estragaram. O meu sobrinho é especial, precisa de tratamento, fazer nebulização. Estamos há mais de 24 horas sem luz. Isso é uma sacanagem com o morador. Eles passaram aqui e não foram resolver a situação”, disse uma moradora do Sapê, que não quis se identificar.

Em Maricá, a noite também foi marcada por uma onda de protestos. A Avenida Prefeito Ivan Mundim, na antiga Estrada o Boqueirão, localizada no Centro da cidade, foi interditada por dezenas de moradores que alegavam estar sem luz há 24h.

No bairro Ubatiba, a rua Rio de Janeiro também foi bloqueada por protestantes. Através das redes sociais, internautas relataram que os bairros Bambuí, Bananal, Itaipuaçú e São José do Imbassaí também ficaram sem energia elétrica.

Procurada, a concessionária Enel Distribuição Rio informou que o fornecimento de energia já foi restabelecido para 70% dos clientes que tiveram o serviço interrompido em decorrência da chuva com fortes ventos e descargas atmosféricas que atingiu a área de concessão da empresa na noite deste domingo (28).

De acordo com a empresa, em vários pontos da cidade os ventos de até 105 km/h causaram a queda de árvores inteiras, galhos e objetos sobre a rede elétrica, levando ao chão equipamentos e parte da fiação e tornando ainda mais complexos os problemas. A concessionária reforça que os serviços de reconstrução da rede vêm sendo executados pelos técnicos da distribuidora gradualmente.

Em atualização…

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

5 thoughts on “Falta de luz gera protestos e fecha túnel em Niterói

  1. Estou com uma fase defeituosa sem luz na cozinha.queimaram lampadas de led e eletronicas. geladeira e freezer com risco de queimar o tel da Enel.nao atende.so ocupado e por internet tb a mensagem nao vai. Da erro.a lampada da rua frente minha casa qeimada.e pago 30 para iluminacao publica na conta

  2. Um vendaval causou essa condição de falta de energia, mas por outro lado também demonstrou a falta de planejamento da empresa responsável pela distribuição de energia elétrica para atender demandas de emergência como essa, bem como o despreparo das equipes de atendimento.

  3. Investe em fiação subterrânea e acaba de vez com essa situação vergonhosa da falta de luz cada vez que venta, e aí ENEL, faz a conta direito !!! Na Alemanha fizeram isso ha mais de 50 anos atrás !!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *