domingo, 25 de outubro de 2020

Família vive quase 10 horas de sofrimento em Itaboraí

Idosa morreu em casa enquanto dormia. Foto: Divulgação

Além de suportar a dor da perda de um ente querido, uma família do Santo Antônio, em Itaboraí, teve que passar por outro sofrimento ao aguardar quase 10 horas pela remoção do corpo de uma idosa pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Segundo familiares, a idosa de 66 anos, que não teve o nome revelado, morreu dentro de casa, na Rua 34, enquanto dormia, por volta das 23h50 desta terça-feira (26). Eles relataram que acionaram o serviço da Samu – que é gerenciado pela própria prefeitura de Itaboraí – já que um médico deveria assinar um laudo de óbito, devido o fato da morte ter acontecido dentro de casa, mas ficaram “perplexos com o descaso”.

“A gente ligou para a Samu e eles alegaram que desde as 23h [de terça-feira, 26] estavam sem médicos para liberar o corpo. A informação que recebemos foi que apenas às 8h teríamos médicos”, disse a sobrinha da idosa, Tuane Medeiros.

Apesar da informação, apenas às 9h18 desta quarta-feira (27), após insistência da família, uma ambulância do Samu foi até a casa para liberar o corpo.

Ainda de acordo com Tuane, há pouco tempo uma vizinha teve que aguardar três dias pela chegada do Samu para fazer a liberação do corpo de um familiar.

“Eles mentiram para a gente em todo momento. Primeiro, disseram que não tinha médico, que só teria 8h de hoje [quarta-feira]. Enquanto isso, a todo momento o plano funerário da OAF, que minha tia era associada, estava ligando para a gente, perguntando se o Samu tinha ido liberar o corpo. Hoje de manhã ligamos novamente e disseram que estavam a caminho, às 7h. Porém, às 8h50, em novo contato, disseram que não tinha médico novamente, disse Tuane, acrescentando que a ambulância chegou apenas por volta de 9h18, quase 10 horas depois do ocorrido.

Por conta da demora, a mãe da vítima, que tem 85 anos, precisou ser amparada pela família devido ao nervosismo.

Em resposta, a Secretaria de Saúde de Itaboraí esclareceu que “neste momento de pandemia, os números de chamados do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu 192) na cidade aumentaram muito, no mesmo momento em que a equipe ficou reduzida, pelo mesmo motivo”.

“A equipe atuou nesta manhã no bairro Areal, verificando outros três outros óbitos e seguiu para o endereço indicado. No local já constatou o óbito da senhora de 66 anos e ainda prestou socorro a um familiar que estava precisando de atendimentos”, dizia a nota.

Publicada às 14h20

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *