quinta, 22 de outubro de 2020

HEAT avança na captação de órgãos

Hospital Estadual Alberto Torres (HEAT). Foto: Divulgação

Mais quatro pessoas foram beneficiadas nesta sexta-feira (17) com a captação de órgãos feita pela equipe do Hospital Estadual Alberto Torres, em São Gonçalo. A família da aposentada Ana Araújo, de 62 anos, autorizou a doação após a confirmação da sua morte devido a um acidente vascular cerebral (AVC). Enquanto a equipe médica fazia o procedimento do Centro de Trauma, familiares faziam o plantio de uma muda de jasmim no Jardim do Doador na área verde da unidade, onde as flores simbolizam a vida de cada paciente que teve os órgãos doados.

“Assim que recebemos a notícia da morte da minha mãe fomos procurados por uma equipe do hospital, que conversou e explicou sobre a doação de órgãos. Fui para casa, conversei com meus irmãos e resolvemos doar”, explicou Uelliton Araujo, de 44 anos.

Enquanto as córneas e os rins da aposentada eram captados pela equipe médica, os filhos, noras, netos e amigos seguiam para o Jardim do Doador de Órgãos, uma área verde, bonita, localizada na unidade. Mesmo sob uma forte chuva, eles rezaram e plantaram a muda de jasmim, símbolo do projeto que já conta com cerca de 150 famílias. “Está sendo um momento de união de toda a família. Estamos tristes e alegres ao mesmo tempo”, garantiu a nora.

Durante a cerimônia de plantio, a família da dona Ana encontrou Luiz Henrique Correa, pai de Matheus Damasceno Correa Faria, de 20 anos, que morreu há cerca de um ano, vítima de um acidente de moto. Bastante emocionado, ele contou que autorizou a doação dos órgãos do filho, que salvou sete pessoas.

“Venho todos os meses aqui. O jasmim representa o espírito dele. O cronograma natural seria o filho enterrar o pai. Mas no meu caso foi o contrário. É uma dor muito grande. É muito difícil. Meu filho faria 21 anos. Mas aqui me sinto feliz por que sei que tem um pedacinho dele ali”, afirma Luiz Henrique.

O Instituto Lagos Rio, através de contrato de Gestão do Complexo Estadual de Saúde, composto pelos Hospitais Estaduais Alberto Torres, em São Gonçalo, e João Batista Cáffaro, em Itaboraí, e ainda da Upa do Colubandê, em São Gonçalo, garante que o projeto tem total apoio da Secretaria de Estado de Saúde.

“A parceria sólida e o apoio que recebemos do Governo do Estado são essenciais para podermos de forma ética e com qualidade, através da direção do complexo, gerir, incentivar e entregar a população um serviço em saúde de forma ampla, com qualidade, humanizada e prestação de assistência desde o acolhimento até a sua resolução final”, afirmava nota.

Projeto

Idealizado pelo psicólogo Luiz Antônio da Silva, o Hospital Estadual Alberto Torres ganhou um jardim dedicado especialmente aos familiares que decidem doar órgãos de parentes. Após a doação, a família é convidada a plantar uma muda de jasmim na área verde da unidade. O local hoje conta com 150 mudas plantadas.

De acordo com o psicólogo, a iniciativa visa valorizar a coragem de familiares pela escolha da doação. O projeto é o único com essa proposta de acolhimento no mundo. O Jardim do Doador de Órgãos foi tema em diversos congressos em Portugal.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *