terça, 20 de outubro de 2020

Idosa que tomou remédio vencido tem piora no estado de saúde

Paciente foi transferida para o Hospital Luiz Palmier, mas estado de saúde continua apresentando pioras. Foto: Google Street View

A aposentada Elisabeth de Azeredo Leal, de 63 anos, teve piora no quadro de saúde. No último dia 19 de janeiro, ela deu entrada no Pronto Socorro de São Gonçalo, localizado no Zé Garoto, onde chegou a receber medicamento vencido. Após reportagens denunciando o descaso com a idosa, ela foi transferida para o Hospital Doutor Luiz Palmier, a poucos metros da primeira unidade, onde permanece internada.

Apesar da transferência, a família acredita que o tratamento não está sendo adequado e eficaz. A filha da idosa, a auxiliar administrativa Michelle Azeredo, de 32 anos, contou que a ferida encontrada no cóccix está ainda maior do que antes, quando ela deu entrada na unidade de saúde.

“Ela está com uma ferida enorme no cóccix e, só fui descobrir isso quando ela foi transferida para o Luiz Palmier, porque fui ajudar a dar banho nela. O quadro dela piorou e ninguém me dá uma posição do que ela tem. O médico que a acompanha, que também é diretor da unidade, diz simplesmente diz que não tem nenhuma posição para me passar. Todos os dias eu tiro foto da ferida. Agora que viram que só esta piorando, falaram que se tirarmos foto, vão nos processar”, disse.

Ainda segundo Michele, a única informação que recebe dos médicos é que a ferida está alastrando devido o tempo que Elisabeth permanece deitada. A auxiliar administrativa ainda denunciou a falta de troca de insumos de higiene pessoal.

Para a filha da idosa as enfermeiras informam que a troca de fraldas deve ser feita pela própria família. Quem marca presença no hospital quase todos os dias, é o prefeito da cidade, José Luiz Nanci, que também acompanha o caso.

“Minha mãe fez uma ressonância ha mais de um mês e só ontem que nos autorizaram pegar. Ela também fez uma ultra abdominal e submeteram ela a quatro preparações de colonoscopia, sem necessidade, uma vez que eles nem tinham visto esses exames primeiro. Ela já esta com baixa proteína e vitaminas e esse exame só piorou a situação. O prefeito vai quase todo dia no hospital, mas só ri e fala que ela já vai ficar boa”, finalizou.

A Prefeitura foi procurada, mas ainda não se pronunciou sobre o caso.

Relembre o caso

Elisabeth chegou ao Pronto Socorro no dia 19 de janeiro, desacordada, com a perna inchada e sem conseguir urinar. Após exames, a aposentada foi internada e transferida para o Luiz Palmier no dia 27 do mesmo mês.

Medicamento estava vencido há três dias quando família notou. Foto via Grupo Plantão Enfoco

Apenas três dias depois da primeira internação, no dia 22, a idosa começou a ter delírios devido a infecção urinária. Nesse dia, aplicaram o medicamento Ciprobacter, de 400 mg, que continuou sendo aplicado até o dia 25, mesmo vencido.

Foi a família quem descobriu que o medicamento estava vencido e informou aos chefes de enfermagem.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *