terça, 27 de outubro de 2020

MAC se ilumina em homenagem ao Dia Internacional da Mulher

Foto: Vitor Pastana/Ascom Niterói

Quem passar pelo Museu de Arte Contemporânea de Niterói (MAC) até sexta-feira (13) vai vê-lo da cor lilás. A iniciativa é uma homenagem ao Dia Internacional da Mulher, celebrado neste domingo (8).  A data foi oficializada na década de 70 pela Organizações das Nações Unidas e foi escolhida para simbolizar a luta das mulheres para terem condições iguais aos homens.

Em um primeiro momento a data era sobre igualdade salarial, mas nos dias de hoje é bem mais abrangente e hoje simboliza a luta contra o machismo e violência. Essa que muitas mulheres convivem diariamente dentro de casa.

A Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro analisou 107 processos em tramitação nos tribunais do júri fluminense, que julgam casos de atentado contra a vida. Mulheres entre 21 e 40 anos, atacadas em casa, à noite ou de madrugada, a faca ou a tiros, pelo companheiro ou ex-companheiro, é o perfil mais comum das vítimas de tentativa de feminicídio. A pesquisa traçou um panorama dos assassinatos de mulheres no estado. O levantamento foi divulgado nesta sexta-feira (6) para marcar o Dia Internacional da Mulher.

Segundo a pesquisa, uma em cada três agressões é atribuída, pelo autor do crime, à dificuldade em aceitar o fim do relacionamento. Outros motivos foram discussão por razões diversas, vingança, ciúme, estupro e recusa da vítima em manter relação sexual.

A maior parte dos crimes ocorreu entre pessoas que namoravam, estavam casadas ou vivendo em união estável (40%) ou tinham uma relação anterior (42%), sendo que 62% dos relacionamentos eram de até cinco anos. Quase todas as mulheres foram submetidas a episódios anteriores, registrados ou não em delegacia, de violência doméstica. Segundo o estudo, muitas não denunciaram os agressores por medo ou porque foram coagidas por eles.

A maioria dos crimes ocorreu de noite (39%) ou de madrugada (34%). Juntos, observa-se que 73% dos crimes foram praticados no período de descanso. Além disso, em 72% dos casos, a agressão ocorreu na residência da vítima. Os autores utilizam, em 44% dos casos, uma faca para cometer o crime, seguida da arma de fogo (17%).

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

1 thought on “MAC se ilumina em homenagem ao Dia Internacional da Mulher

  1. O dia internacional da Mulher não deveria ter data específica.
    Toda dia é dia da mulher .
    Somos querreiras incansáveis.
    A mulher trabalha fora e cuida da família e nao tem valor .
    Sofre agressão doméstica e psicologica .QUE não deixa de ser crime.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *