terça, 24 de novembro de 2020

Mais de 12 mil pessoas esperam por cirurgia no Into, afirma DPU

Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Foto: Google Street View/Reprodução)

O Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into), que fica na zona portuária do Rio de Janeiro e atende a pacientes de todo o Brasil, está com 12,5 mil pessoas em sua lista de espera para cirurgias. A informação é da Defensoria Pública da União (DPU), que fez vistoria na unidade na segunda-feira (25).

Segundo o defensor público Daniel Macedo, que participou da fiscalização, o Into está totalmente desabastecido de órteses e próteses, e as cirurgias estão suspensas desde dezembro. Ele afirmou ainda que, em média, os pacientes aguardam até 10 anos para realizar o procedimento.

Macedo também lembrou que, em 2014, o Into assinou acordo com a DPU para reduzir a fila de espera por cirurgias, quando foi estabelecido que o instituto deveria realizar mais de 10 mil procedimentos por ano, o que não vem ocorrendo. Em 2018, por exemplo, pouco mais de 7 mil cirurgias foram realizadas.

Agora, a Defensoria Pública da União vai aguardar relatório do Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio e do Departamento Nacional de Auditoria do Sistema Único de Saúde, para encaminhar petição à Justiça relativa ao descumprimento do acordo firmado em 2014.

O objetivo é requerer medidas para que o Into seja reabastecido e volte a realizar cirurgias imediatamente. Também não está descartado o pedido de multa para a União e para a Secretaria Nacional de Atenção à Saúde.

Além disso, uma recomendação deverá ser enviada ao Ministério da Saúde, para que sejam tomadas providências efetivas para resolver as crises enfrentadas pelo hospital.

Em nota, o Into explicou que o desabastecimento de órteses, próteses e materiais especiais na unidade de saúde é causado pela falta de empresas interessadas em participar das concorrências de compra; pela suspensão de processos licitatórios pelos órgãos de controle e pela falta de empresas no mercado nacional. 

O Into informou ainda que já apresentou aos órgãos competentes um panorama das dificuldades enfrentadas e as medidas que estão sendo adotadas para resolvê-las.

(EBC)

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *