segunda, 25 de janeiro de 2021

Mais de 1,5 milhão de empreendedores buscaram inovar em 2020

Na loja do Sebrae Rio foram quase 1,7 milhão de acessos. Foto: Arquivo

A pandemia do novo coronavírus alterou a rotina das pessoas. Para entender como adotar os protocolos de saúde e compreender os novos hábitos dos consumidores, os empreendedores do estado do Rio de Janeiro buscaram novos conhecimentos. Na loja do Sebrae Rio foram quase 1,7 milhão de acessos, um aumento de 344%, em comparação com 2019. Durante a pandemia, todos os materiais foram disponibilizados de forma gratuita.

Ao longo do ano, 172 mil empresários fizeram contato com o Sebrae Rio pela primeira vez, em busca de informações para abertura ou manutenção do negócio. Ao todo, a instituição realizou 702 mil atendimentos, um aumento de 185% de novos atendimentos, em comparação com o ano anterior.

Ainda no início da pandemia, o site Especial Coronavírus entrou no ar. Em 10 meses, o portal realizou mais de 120 mil atendimentos e quase 4.300 consultorias online foram solicitadas. O empreendedor teve acesso a conteúdos de diversos temas como negócios, gestão financeira, planejamento, acesso ao crédito, home office e marketing digital.

“Os donos dos pequenos negócios passaram por um processo de aprendizado. Eles perceberam que precisavam de orientação para manter a sua empresa em funcionamento. Quatro em cada dez empresas encontraram na inovação uma forma de se destacar no mercado. Outra lição aprendida é a necessidade de se ter um planejamento financeiro. O empreendedor que tinha um bom capital de giro manteve maior fôlego e a recuperação foi mais rápida”, aponta Débora Finamore, gerente de Comunicação e Relacionamento Digital do Sebrae Rio.

Os pequenos negócios tiveram muitas dificuldades em conseguir crédito junto a instituições financeiras. O Sebrae atuou como avalista do Fampe (Fundo de Aval às Micro e Pequenas Empresas), que garantiu de forma complementar até 80% de um financiamento junto a uma instituição financeira conveniada. Em 2020, o Sebrae Rio registrou um aumento de 1729% de empreendedores conseguindo empréstimo via Fampe.

Após passar o período mais crítico, as micro e pequenas empresas estão bem próximas de recuperar os empregos perdidos desde o início da pandemia. Com base nos dados do Novo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), pelo quarto mês consecutivo (de julho a outubro), os pequenos negócios do estado do Rio de Janeiro apresentaram saldo líquido de empregos maior que as médias e grandes empresas. Em outubro, as micro e pequenas empresas foram responsáveis pela geração de 16.144 novas vagas de emprego com carteira assinada. Já as MGEs abriram apenas 170 vagas formais de trabalho.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *