quinta, 01 de outubro de 2020

Mais de 200 rodoviários são demitidos em Niterói

Funcionários foram demitidos em massa nesta segunda (31). Foto: Marcelo Tavares

Mais de 200 funcionários da viação Ingá relataram terem sido surpreendidos com uma demissão em massa na manhã desta segunda-feira (31). De acordo com denúncias, uma reunião estava marcada para o início desta manhã e nela o anúncio foi feito.

Os funcionários relataram que não foram informados sobre o motivo dos desligamentos. Motoristas, cobradores e funcionários do setor administrativo estavam incluídos na lista de demissões.

O motorista Alan Talva, de 28 anos, trabalhava há dois anos na empresa e foi um dos demitidos. Ele contou que recebeu uma ligação na sexta-feira (28) para comparecer na empresa pela manhã nesta segunda-feira (31).

“Eles me ligaram já tinha passado das 22h dizendo que eu tinha que estar na empresa às 5h desta segunda (31) com o uniforme para participar de uma reunião. Fui pego de surpresa”, afirmou.

O funcionário, que é casado e tem quatro filhos, afirmou ainda que paga pensão e não sabe como serão os próximos dias. “Só Deus sabe”, disse.

Procurado, o Sindicato dos Rodoviários de Niterói a Arraial do Cabo (Sintronac) afirmou que também foi surpreendido com as demissões.

“Eu tomei conhecimento do caso agora pela manhã e descobri que 250 trabalhadores foram demitidos. O advogado do sindicato está procurando saber como será o procedimento, mas essa situação já vem se arrastando há bastante tempo. No ano passado, a viação Ingá demitiu 100 empregados de uma só vez, mas junto ao Ministério Público conseguimos fazer com que esses funcionários tivessem seus salários e direitos pagos”, disse o presidente do Sintronac, Rubens dos Santos.

Ainda segundo o presidente, a viação Ingá é a empresa que mais preocupa o sindicato. “Vamos fazer uma reunião com a empresa e ver o que eles vão nos propor ou se vai ser preciso acionar a Justiça” disse.

A viação Ingá informou que as demissões foram feitas para reduzir o número de funcionários na empresa.

O Sindicato das Empresas de Transportes Rodoviários do Estado do Rio de Janeiro (Setrerj) comentou que a situação financeira do setor de transporte ‘é extremamente difícil em todo o país’ e se solidarizou com os profissionais com os profissionais que foram dispensados.

Por meio de nota, explicou que com o isolamento social, a soma do prejuízo das empresas de ônibus que compõem a região do Setrerj, até maio, foi de aproximadamente R$ 22 milhões, somente no sistema municipal, que, no período, teve uma redução de demanda de 70%.

“No sistema intermunicipal foi ainda pior, já que as linhas para a capital ficaram suspensas por quase quatro meses. Segundo a Fetranspor, o setor de ônibus no estado do Rio perdeu R$ 1,7 bilhão em receita – o que representa um prejuízo de R$ 713 milhões, levando em consideração o período de março a junho deste ano, comparado com 2019. Até o fim do ano, a previsão é que a perda vá a R$ 1,6 bilhão. Mesmo com o final do isolamento social, a situação está longe de se normalizar”, afirma o órgão.

Segundo o Setrerj, as empresas de ônibus vêm alertando para essa situação desde o início da pandemia. “Ainda assim, não houve nenhum apoio substancial do Governo para o setor”, continua.

Na maioria das grandes cidades do mundo, revela o sindicato, o transporte é subsidiado pelo poder público. No Brasil, a cidade de São Paulo, por exemplo, investe mais de R$ 3 bilhões por ano para subsidiar a tarifa de transporte.

“Infelizmente, o que está acontecendo com a Auto Lotação Ingá não é um caso isolado. Para conseguir manter a prestação do serviço, serão necessárias ações extremas por parte das empresas como as demissões ocorridas hoje. O Setrerj se solidariza com os profissionais que foram dispensados e espera que, em breve, a situação se resolva de forma a retomar o crescimento do setor”, finaliza.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

6 thoughts on “Mais de 200 rodoviários são demitidos em Niterói

  1. Mentira o sindicato está indo a semana passada toda na Ingá para reuniões aonde acordaram essa demissão em massa

  2. A Ingá e seu proprietário deveriam ser investigados pela PF, pois prestam um serviço de terceira categoria para a Zona Norte da cidade e cobram tarifa de Zona Sul de Niterói.

    Cobram subsídio do município para poderem usurpar mais para seus bolsos e prestando o mesmo serviço horroroso.

    Vejam as linhas 21, 22, 23, 24, 25 e 26, onde nenhuma possui ar-condicionado até hoje.

  3. Cambada de falsos esse povo do sindicato. Na viação maua também vai um Monte de rodoviário em bora dia 12/09 uma covardia mamaram na teta do governo agora vem com essa . ingressado on ônibus só anda lotado pra cima e pra baixo estão bagunçando com o trabalhador as empresas e o sindicato juntinho

  4. Eu que não sou rodoviário já sabia disso que as empresas de ônibus iriam mandar um monte embora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *