sábado, 24 de outubro de 2020

Mais de 400 mil inadimplentes em Niterói

No mais recente dado divulgado pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Niterói (CDL), até o mês de dezembro, 459 mil moradores de Niterói e região estão inadimplentes com nomes negativados no Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil). A inadimplência está diretamente relacionada a serviços contratados e produtos adquiridos no município. Além disso quase 50% dos inscritos têm entre 30 e 50 anos. No Brasil, são 62 milhões de pessoas com nomes vinculados no serviço de proteção ao crédito.

inadimplência, Contas, SPC, CDL
Contas de água e luz estão entre serviços com maior número de inadimplência (Foto: Eduarda Hillebrandt)

De acordo com Luiz Vieira, presidente da CDL, a perspectiva de melhora para a situação de inadimplência na cidade é de 6,61% em relação a 2017.

“Aproximadamente 16% dessas dívidas correspondem às contas de água e luz e, a partir do momento em que você tem água e luz cortada, significa o mínimo para sobreviver na sua residência”, explicou Vieira.

Segundo o presidente da CDL, outra grande dificuldade para sair dessa situação está nas reformas estruturantes que o país precisa, principalmente de novos investimentos.

“Precisamos da geração de emprego e renda, incentivar o empresário a investir, criar políticas públicas de incentivo para as pessoas a consumirem no próprio local, assim conseguiríamos diminuir o índice de inadimplentes”, concluiu Vieira, destacando também o papel do Executivo municipal na política de investimentos.

Dívidas e saúde

Em pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), em 2018, problemas financeiros e dívidas em excesso também são responsáveis por transtornos emocionais e distúrbios de comportamento.

Segundo o levantamento, de cada dez inadimplentes avaliados, seis ficaram mais ansiosos depois de contrair dívidas. Outros sentimentos que a maioria dos inadimplentes adquiriu em algum grau foram: insegurança em não conseguir pagar as dívidas (59%) e estresse (52%).

Há ainda uma parcela considerável de devedores que passaram a se sentir angustiados (47%), com sentimento de culpa (46%) e desanimados (41%) após as pendências.

A pesquisa ouviu 609 consumidores com contas em atraso há mais de 90 dias. A amostra é representativa e contempla ambos os gêneros, pessoas acima de 18 anos, de todas as classes sociais e residentes nas 27 capitais do país. A margem de erro é de 3,97 pontos percentuais a uma margem de confiança de 95%.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *