quarta, 25 de novembro de 2020

Mais de 500 rodoviários de Niterói demitidos essa semana

transeuntes, terminal, niterói, teroni, pessoas, máscaras, fiscalização, deputado, alerj
Na Viação Pendotiba, do consórcio transoceânico, foram 60 demissões. Foto: Arquivo/Pedro Conforte

O número de rodoviários demitidos em Niterói, nesta semana, chegou a 530, de acordo com dados do Sindicato dos Rodoviários de Niterói a Arraial do Cabo (Sintronac). Nesta sexta-feira (2), 60 rescisões foram oficializadas na Viação Pendotiba, empresa que integra o consórcio Transoceânico. Ao todo, desde agosto, a quantidade de postos perdidos já atingiu 836.

Para os rodoviários demitidos, a promessa é de recontratação em um possível reaquecimento econômico fluminense, após o período de isolamento social em decorrência da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Mas, na prática, o futuro incerto assusta os trabalhadores.

“A gente fica na esperança de quando vai melhorar. Com a promessa de que uma hora tudo voltará ao normal. Mas será que vamos conseguir voltar para o mercado de trabalho? Como vai ser meu futuro?”, questiona um dos rodoviários da empresa, demitido nesta sexta-feira (2).

No final de agosto, a tendência, segundo revelado por representantes das companhias do Leste Fluminense em audiência no Ministério Público do Trabalho (MPT), era de que o corte de pessoal no setor atingisse entre 30% a 40% do quadro funcional até o final do ano, o que representava algo em torno de 5,4 mil a 7,2 mil rodoviários.

Segundo o presidente do Sintronac, Rubens dos Santos Oliveira, uma série de assembleias foram realizadas nas garagens das empresas em Niterói e o processo de corte já era esperado pelo setor. De acordo com o representante da categoria, as empresas, até o momento, estão cumprindo com os encargos trabalhistas e amparando os trabalhadores.

“O processo de demissões nas empresas está sendo consensual. Foram feitas assembleias em todas as garagens e os rodoviários estão aceitando de maneira positiva, porque todos os encargos e multas de rescisões estão sendo cumpridos. A promessa é de, quando acabar o período crítico da pandemia e houver o reaquecimento total da economia, sejam feitas recontratações”, disse o presidente.

Procurado, o Sindicato das Empresas de Transportes Rodoviários do Estado do Rio de Janeiro (Setrerj) informou que, segundo a Fetranspor, o setor de ônibus no estado do Rio perdeu R$ 1,7 bilhão em receita – o que representa um prejuízo de R$ 713 milhões, levando em consideração o período de março a junho deste ano, comparado com 2019.

“Até o fim do ano, a previsão é que a perda vá a R$ 1,6 bilhão. Mesmo com o final do isolamento social, a situação está longe de se normalizar. As empresas de ônibus vêm alertando para essa situação desde o início da pandemia. O Setrerj se solidariza com os profissionais que foram dispensados e espera que em breve a situação se resolva de forma a retomar o crescimento do setor”.

diz a nota.

Sobre as demissões na Viação Pendotiba, a empresa informou que apesar da crise enfrentada desde o início do isolamento social, e a redução de 40% da demanda e operação da empresa, a demissões limitaram-se a 10% do quadro de funcionários. Ainda segundo a nota, a Pendotiba manterá esses funcionários em um banco de dados e estes terão prioridade de recontratação quando a tão esperada retomada econômica aconteça.

Atualizada às 14h30 de segunda-feira (5).

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

2 thoughts on “Mais de 500 rodoviários de Niterói demitidos essa semana

  1. Não há consenso quando você é chamado na garagem e recebe a boa notícia que você está sendo desligado quem aceita ser demitido nessa pandemia pra receber seus direitos em 15 ou 18 parcelas isso é tudo falácia do sindicato que não nos representa.

  2. Não há consenso quando você é chamado na garagem e recebe a boa notícia que você está sendo desligado quem aceita ser demitido nessa pandemia pra receber seus direitos em 15 ou 18 parcelas isso é tudo falácia do sindicato que não nos representa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *