Mais de duas toneladas de peixes mortos na Lagoa de Piratininga

Em dois dias, mais de duas toneladas de peixes mortos foram recolhidos. Foto via Grupo Plantão Enfoco
Em dois dias, mais de duas toneladas de peixes mortos foram recolhidos. Foto via Grupo Plantão Enfoco

Mais de duas toneladas de peixes mortos já foram retiradas da Lagoa de Piratininga, na Região Oceânica de Niterói, nos últimos dois dias. A lagoa vem sofrendo com a mortandade desde o início da semana.

De acordo com a prefeitura, a Companhia de Limpeza (CLIN) recolheu, ao todo, 2.325 toneladas de peixes. A administração municipal informou que a onda de calor do último sábado (13) contribuiu para a mortandade e que o canal de ligação da lagoa com o mar é uma obra realizada pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea), sendo de responsabilidade do órgão estadual.

Em nota, o Inea informa que está em processo de licitação a escolha da empresa que fará a desobstrução do túnel da Lagoa de Piratininga e que a obra está prevista para ser realizada até o final de setembro. A intervenção prevê a retirada das pedras que despencaram do teto do túnel, ao longo de sua extensão, prejudicando a troca de água da lagoa com o mar, e afetando a oxigenação do ecossistema lagunar.

O instituto esclarece ainda que o esgotamento sanitário é atribuição dos municípios e das concessionárias e que fez uma vistoria no local nesta quarta-feira (17) para verificar os níveis de oxigênio na água e a situação do local.

“Mau cheiro muito forte na lagoa de Piratininga. Quem pode fazer alguma coisa? Cadê as autoridades? Nós moradores somos obrigados a viver com isso até quando?”, questiona a moradora do entorno, pelas redes sociais.

De acordo com Luciano Paez, gestor do Sistema Lagunar de Niterói, são peixes da espécie savelha e o fenômeno é comum em sistemas lagunares costeiros, principalmente na laguna de Piratininga.

“A laguna de Piratininga possui uma coluna d’água (profundidade) que fica entre 20 centímetros a 1,5 metros em média. Assim, qualquer alteração climática pode gerar mudanças no oxigênio dissolvido da água, gerando a mortandade”, esclarece o especialista.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

1 thought on “Mais de duas toneladas de peixes mortos na Lagoa de Piratininga

  1. Lagoa recebe esgoto sem tratamento. É só andar na sua orla para constatar. Mas as autoridades botam a culpa no clima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *