Maricá discute risco de morte por falta de luz

Enel virou de debates na Câmara Municipal de Maricá. Foto: Eduarda Hillebrand

As constantes interrupções no fornecimento de energia elétrica têm colocado vidas em risco em Maricá. Isso porque segundo o vereador Rony Peterson (PR), quatro moradores da cidade protocolaram um pedido de gerador, pois possuem familiares que dependem de eletricidade para sobreviver, mas não tiveram nenhuma resposta da concessionária Enel, responsável pelo fornecimento de luz na região.

“Existem pessoas em nossa cidade que são muito humildes e precisam de energia elétrica pra viver. Ontem (28) faltou luz em diversos bairros. Em uma hora dessas como essas pessoas ficam?”, indagou o vereador.

De acordo com o vereador Cemar (SD), “qualquer cidadão que precisar de energia para sobreviver deve anexar documentos e levar até à Enel, que tem obrigação de manter disponível um gerador ou uma equipe que vá atendê-la antes de qualquer outra”. O vereador garantiu que o cidadão está respaldado pela Constituição.

No entanto, a técnica de enfermagem Érica Ferreira contou que viveu um momento de desespero na noite deste domingo (23), quando faltou energia elétrica na sua casa, onde o pai se encontra acamado.

“Ligamos várias vezes para o número de telefone da Enel, mas sem sucesso. Meu pai sofreu um acidente vascular encefálico (AVE) em abril do ano passado e desde então depende do nebulizador para funcionar como fonte de oxigênio. Pagamos quase R$ 600 de conta para a Enel e quando temos uma emergência não conseguimos entrar em contato em nenhum telefone”, contou.

O presidente da Comissão de Saúde da Câmara, Felipe Auni, afirmou que já havia se comprometido com essa questão e que está aguardando as orientações.

“A central reguladora é em Brasília. Nós estaremos encaminhando ao senador o pedido de uma audiência com o ministro, para que a gente possa levar esse problema e a Enel preste os devidos esclarecimentos”, finalizou.

Procurada, a Enel informou que o atendimento a clientes vitais, que necessitam de equipamentos especiais, é uma prioridade para a companhia. A empresa afirmou que cumpre a regulamentação do setor, definida pela agência reguladora Aneel, sobre a forma de atendimento a estes consumidores, que dependem de energia elétrica para a preservação da vida. O atendimento especial inclui a priorização do restabelecimento de energia em casos de interrupção, sempre que possível. Em casos específicos em que a interrupção do fornecimento é duradoura, a distribuidora fornece temporariamente geradores para os clientes previamente cadastrados.

A Enel informou ainda que os clientes vitais precisam realizar um cadastro em uma das lojas de atendimento da empresa, apresentando documento pessoal (RG ou Certidão de Nascimento), atestado médico e formulário de cadastro preenchido. A solicitação pode ser feita pelo titular da conta, representante legal, filhos ou cônjuge do cliente vital, desde que uma dessas pessoas apresente os documentos que comprovem o vínculo de parentesco com o titular.


(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *