quinta, 22 de outubro de 2020

Média de 137 denúncias de aglomerações por dia no RJ

Disk Aglomeração teve mais de 8 mil atendimentos em dois meses no Rio de Janeiro. Foto: Divulgação / Prefeitura do Rio

A Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop), atendeu 8.220 denúncias de aglomerações em dois meses: uma média de 137 atendimentos/dia.

Iniciado em 31 de março, o Disk Aglomeração funciona, principalmente, com base em chamados feitos à Central 1746 e vem contribuindo para a orientação e dispersão de pessoas em estabelecimentos comerciais e áreas públicas de lazer como medida de controle do novo coronavírus.

Os dez bairros mais demandados, até este domingo (31), foram: Campo Grande, Realengo, Bangu, Santa Cruz, Barra da Tijuca, Taquara, Tijuca, Centro, Copacabana e Recreio dos Bandeirantes.

Além das fiscalizações diárias realizadas por equipes formadas por guardas municipais e policiais militares (do Programa Rio+Seguro), o serviço agora conta com o reforço de agentes da Subsecretaria de Operações da Seop, da Subsecretaria de Vigilância Sanitária (vinculada à Secretaria Municipal de Saúde), da Subsecretaria de Licenciamento, Fiscalização e Controle Urbano (da Fazenda) e de batalhões de área da PM em ações especiais.

Balanço do domingo

No domingo (31), a força-tarefa encerrou um festival de pipas em Bento Ribeiro e atendeu a chamados para conter aglomerações em outros sete bairros das zonas Norte e Oeste: Campo Grande, Bangu, Padre Miguel, Realengo, Méier, Vicente de Carvalho e Irajá.

Como resultado, foram fechados 11 estabelecimentos (a maioria bares e restaurantes) de 62 fiscalizados. No roteiro, os agentes encontraram grande parte do comércio fechado (831 estabelecimentos) e orientaram 22 ambulantes a encerrarem suas atividades. Os agentes também checaram denúncias de jogos de futebol e aglomeração em templos religiosos, todas improcedentes.

Mês começa com fiscalização do comércio na Pavuna

A Seop também integra diariamente, desde 18 de março, diversos órgãos municipais e a Polícia Militar (quando necessário) em ações conjuntas com foco no comércio. Nesta segunda-feira (1º), as equipes começaram o mês com a fiscalização da área comercial da Pavuna, na Zona Norte.

Em mais de dois meses de operações, a Seop registrou, até 31 de maio, 24.033 estabelecimentos fiscalizados, com 17.251 pontos comerciais fechados.

A força-tarefa desta segunda contou com efetivos da Subsecretaria de Operações da Seop; Guarda Municipal; Subsecretaria de Licenciamento, Fiscalização e Controle Urbano (Fazenda); Subsecretaria de Vigilância Sanitária (Saúde); Comlurb, e 41º BPM.

Publicado às 22h47.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *