sexta, 18 de setembro de 2020

Milhares de moradores esquecidos em São Gonçalo

Rua Quatro está com asfalto deteriorado. Foto via Grupo Plantão Enfoco

Moradores do bairro Apolo III, incorporado à São Gonçalo há cerca de dez anos, reclamam de abandono por parte do poder público. Sem previsão de obras, a própria população tem organizado mutirões para tapar buracos das ruas e fazer a limpeza das vias, serviços de competência da Prefeitura.

“Temos uma série de ofícios protocolados na Secretaria de Obras para pedir asfalto, mas nunca tivemos retorno. É como se a região estivesse caído no esquecimento. Fazem mais de três anos que não recebemos investimentos da Prefeitura”, afirmou Alex Lírio, que compõe a diretoria da Associação de Moradores de Marambaia e Apollo III (AMMA).

Além das cobranças relacionadas ao asfalto, iluminação pública, macrodrenagem e saneamento básico, a associação tem feito mutirões mensais para limpar o acúmulo de lixo na Avenida Prefeito Gilberto Antunes. A sede do órgão, na Rua Julieta Martins Roale, sofreu com a perda de equipamentos e foi fechada em decorrência das chuvas da última segunda-feira (13).

As ruas com o asfalto mais deteriorado, segundo a associação, são as paralelas da principal do Apollo III, a Rua Governador Roberto Silveira, que liga as rodovias RJ-104 e BR-101. A maioria das vias dessa área recebeu asfaltamento na época da incorporação. Porém, desde então, não houve sinalização sobre recapeamento.

Os bairros de Marambaia e Apollo III abrigam mais de 20 mil moradores, de acordo com o último Censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2010.

Tapa-buracos

“Na minha rua não tem condições de transitar. O asfalto está bem deteriorado e há uma vala logo em frente à minha garagem. Não basta uma operação tapa-buraco. O que eles fazem é tapar os buracos, e a chuva sempre arrasta tudo embora”, afirmou o contador Lucas Coutinho Campos, de 24 anos, que mora na Rua Quatro (antiga Osmar da Conceição), paralela da Rua Gov. Roberto Silveira.

O morador relatou ainda que há cinco meses os moradores resolveram organizar uma ‘vaquinha’ e, em mutirão, taparam os buracos com cimento e cacos de tijolos.

“A locomoção fica muito complicada para idosos, cadeirantes, pois também não há calçadas. Entendemos que a Prefeitura está com dificuldades financeiras, mas queremos que alguma equipe seja enviada para avaliar a região e apresentar respostas”, complementou Lucas.

Outra moradora da Rua Quatro, que preferiu não se identificar, afirmou que já perdeu as esperanças de recapeamento da via. “Eles fizeram o asfalto uma vez e não teve reposição. Cobrar impostos a Prefeitura cobra, mas infelizmente não vemos retorno”, lamenta.

Procurada, a Prefeitura de São Gonçalo informou em nota que ‘a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano enviará uma equipe ao local nos próximos dias para verificar o problema e realizar os reparos necessários’, embora não tenha informado data exata da avaliação e de início das obras.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *