domingo, 20 de setembro de 2020

Ministério de Flordelis vira Cidade do Fogo

Nome da igreja foi simplificado para Cidade do Fogo. Foto: Rede Social

O Ministério Flordelis, igreja evangélica fundada pela deputada federal com unidades em São Gonçalo e Niterói, teve o nome ‘simplificado’. Isso porque, antes chamado Ministério Flordelis – Cidade do Fogo, agora é tratado pelos fieis apenas como Cidade do Fogo, retirando a referência da pastora. A mudança acontece após a acusação de que a deputada seria a mandante do assassinato do próprio marido, o pastor Anderson do Carmo.

A alteração do nome da igreja já consta na biografia divulgada pelas redes sociais. Além disso, o nome do pastor Carlos Silva foi adicionado como um dos presidentes do ministério.

Carlos foi um dos presos no último dia 24 de agosto, durante operação coordenada pelo Ministério Público e pela Polícia Civil. Ele é um dos acusados de envolvimento no plano de assassinato do pastor Anderson do Carmo, que antes de morrer liderava a igreja junto com Flordelis.

Brincadeiras

Segunda Flordelis, namorar na estrada era uma habito do casal. Foto: Rede Social
Segundo Flordelis, namorar na estrada era uma habito do casal. Foto: Rede Social

Em entrevista concedida ao jornalista Roberto Cabrini da emissora SBT, divulgada no final da noite desta segunda-feira (31), a parlamentar revelou ter tido relações sexuais com o pastor, no carro do casal, em uma rua deserta de Copacabana, Zona Sul do Rio. Tudo teria ocorrido momentos antes deles irem para casa.

“Fomos até Copacabana, andamos no calçadão, fizemos as brincadeiras, andamos na praia, depois fomos para o carro. Ele pegou uma pista deserta – não sei dizer o local – só se eu for no local talvez eu consiga, mas não prestei atenção no caminho. Eu sei que ele chegou num lugar que tinham carros parados, mas não tinha bar. Paramos ali, namoramos – que era uma coisa normal nossa na estrada. Namoramos, ele me beijou bastante, eu sentei no capô do carro”, contou a deputada Flordelis.

Imagens de câmeras de segurança divulgadas pela Polícia revelaram a movimentação do carro chegando na rua do casal em Niterói pouco depois das 3h.

Dívida

Segundo Flordelis houve desaparecimento de R$ 6 milhões, a pastora afirma que apenas o filho Misael e o esposo Anderson do Carmo eram os responsáveis pela administração das ofertas arrecadas nos cultos evangélicos da Cidade do Fogo. Ela disse ainda que tem dívida de R$ 240 mil em contas das igrejas.

O nome do vereador Misael, que ainda no início das investigações acusou a mãe de ser a mentora intelectual do crime, voltou a ser citado por Flordelis. “Ele está mentindo”, reafirmou a deputada, que ao ser questionada sobre os motivos que levariam o filho a mentir completou:

“Não sei, é algo que eu também gostaria de saber. Por isso eu pedi também que ele fosse investigado. Por exemplo, no dia do velório do meu marido: por que Misael tirou todos os computadores da igreja? E foi falado, não foi por ninguém da família, foi falado por membros da igreja. No dia seguinte do sepultamento foi para uma delegacia me incriminar. Por que não veio conversar comigo?”.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *