domingo, 25 de outubro de 2020

Morador de SG sobrevive à Covid-19 após 45 dias no CTI

Alta hospitalar foi comemorada pelos funcionários do hospital. Imagens: Arquivo Pessoal

Após ficar um mês e 15 dias hospitalizado, o morador de São Gonçalo, Ademir Soares, de 73 anos, recebeu alta hospitalar e está recuperado da Covid-19. Ele estava internado em unidade particular e na tarde desta quarta-feira (20) deixou a local acompanhado da família.

Segundo familiares, o quadro de saúde do aposentado foi considerado crítico pelos médicos que acompanharam o caso, mas ele conseguiu se recuperar e pode voltar para casa.

Ainda de acordo com a família, o idoso foi internado no dia 5 de abril sob suspeita de ter contraído o novo coronavírus. Ele, que mora com a esposa no bairro de Porto Velho, apresentou sintomas como perda de paladar e calafrios. Por causa da idade, os filhos decidiram levá-lo ao hospital para exames.

Após uma tomografia, os médicos verificaram que Ademir estava com os pulmões comprometidos. Por já ter doenças pré-existentes como hipertensão e diabetes, Ademir precisou ficar internado. Após cinco dias no hospital o resultado: positivo para Covid-19. Ao todo, foram 27 dias no Centro de Terapia Intensiva (CTI) e mais 18 entubado.

Para o filho José Neto, de 37 anos, que também contraiu o vírus, mas seguiu em quarentena dentro de casa, a família recebeu um milagre, após dias de angústia.

“A sensação é de milagre, porque um idoso de 73 anos, com problemas de saúde, considerado em estado crítico, ficou esses dias todos internados e sair curado, é um milagre. Ele é devoto de Nossa Senhora Aparecida e se apegou muito a religião. Todos os dias que ele esteve internado fazíamos uma corrente de oração com as pessoas da igreja e isso nos ajudou bastante”

José Neto, representante comercial e filho do aposentado

Por conta do risco de contágio, Ademir foi impossibilitado de receber visitas. Familiares relatam que ficavam sabendo sobre as condições de saúde do paciente através do hospital. Para amenizar a saudade, os filhos colaram fotos na parede do quarto. O aposentado teve os rins comprometidos e ainda passou por invasivos como diálise, porém ao final ele conseguiu se recuperar.

“Ele tem mais duas filhas, seis netos e mais um a caminho pela frente. Nós ficamos muito felizes, não conseguimos expressar tudo o que vivemos. Ele só chora e nem consegue acreditar, mas tem muitas lembranças e quer reunir a família para compartilhar tudo que viveu”, conclui o filho.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *