domingo, 17 de janeiro de 2021

Moradores de Niterói e SG denunciam aumento na conta de luz

Os valores chegaram a dobrar de um mês para o outro sem nenhuma explicação. Foto: Arquivo/ Plantão Enfoco

Moradores de Niterói e São Gonçalo denunciaram, nesta semana, um aumento na conta de luz referente a dezembro. Segundo os denunciantes, os valores chegaram a dobrar de um mês para o outro sem nenhuma justificativa da concessionária responsável, Enel.

Segundo os moradores, o aumento foi assustador, visto que teria não havido mudança de hábito nas residências.

Entenda as denúncias:

São Gonçalo

A vendedora Karina Xavier, de 40 anos, moradora da Rua Alfredo Backer, no bairro Alcântara, informou que teve um aumento de 50% na conta de dezembro.

“A conta veio R$ 279,80, um aumento de quase R$ 140. Me pergunto qual seria o motivo disso, já que moro apenas com minha filha, que passa a maior parte do dia fora de casa”, afirmou.

Outra moradora de São Gonçalo, dessa vez do bairro Almerinda, que preferiu não ter a identidade revelada, contou que a diferença de cobrança entre novembro e dezembro foi de R$ 260. A jovem, de 23 anos, que mora com mais quatro pessoas, também relatou que a família consumiu o serviço do mesmo jeito que os meses anteriores.

“Há aproximadamente um ano tivemos essa mesma questão, mas acionamos a Enel, eles verificaram o relógio, localizaram um problema no chip e falaram que encaminhariam alguém para fazer a medição. Desta vez, nem isso fizeram! Enviaram só uma carta informando que não havia nenhuma irregularidade”, disse.

Niterói

No grupo do Facebook do Plantão Enfoco, a publicação de um morador de Niterói movimentou a população e gerou revolta contra a Enel.

Publicação de leitor no Facebook. Foto: Reprodução/ Redes Sociais

“Vejam só, em outubro a conta subiu para R$266, reclamei, fizeram uma média, corrigiram para R$177, a conta de novembro R$225, a de dezembro R$170 e a de janeiro de 2021, pasmem R$300. Tentei falar com a ENEL por 3 vezes e eles só atendem emergência. Já não sei mais a quem recorrer. Em plena pandemia está conta com esse valor ABSURDO.” declarou o denunciante.

Outra moradora, também de Niterói, comentou o post questionando que sua conta dobrou de valor, assim como relatou a vendedora de São Gonçalo, ela informa que todos os moradores de sua casa trabalham o dia inteiro fora.

Enel

Questionada sobre as denúncias, a concessionária informou que, “com as altas temperaturas do Verão, bem como o isolamento social devido a pandemia, há aumento no consumo de energia, devido ao uso mais frequente da geladeira, de aparelhos de ar condicionado e ventilador, por exemplo”.

Ainda em nota, a Enel explicou sobre o destino dos valores pagos nas contas de luz.

“Em uma conta no valor de R$ 100, apenas R$ 22,70 são destinados às atividades da distribuidora, para operação, expansão, manutenção da rede de energia elétrica e para remuneração dos investimentos. Cerca de R$ 31,20 são destinados ao pagamento de impostos e R$ 12,60 são encargos setoriais. Além disso, R$ 26,5 são direcionados a custos de energia e R$ 6,90 à transmissão.” esclareceu.

Continuando o esclarecimento, a distribuidora informou que no mês de dezembro estava vigente a bandeira vermelha no patamar dois, nível tarifário mais elevado, com custo de R$ 6,243 para cada 100 quilowatts-hora consumidos.

A distribuidora ressalta ainda que os valores do Sistema de Bandeiras Tarifárias e a definição da bandeira de cada mês são fixadas pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica).

Bandeiras tarifárias

  • Bandeira verde: condições favoráveis de geração de energia. A tarifa não sofre nenhum acréscimo;
  • Bandeira amarela: condições de geração menos favoráveis. A tarifa sofre acréscimo de R$ 0,01343 para cada quilowatt-hora (kWh) consumidos;
  • Bandeira vermelha – Patamar 1: condições mais custosas de geração. A tarifa sofre acréscimo de R$ 0,04169 para cada quilowatt-hora kWh consumido.
  • Bandeira vermelha – Patamar 2: condições ainda mais custosas de geração. A tarifa sofre acréscimo de R$ 0,06243 para cada quilowatt-hora kWh consumido.

Dicas

  • A troca de lâmpadas incandescentes de 100W por modelos LED de 14W, por exemplo, representa uma economia de, aproximadamente, 16 kWh/mês para cada ponto de luz.
  • Ajustar a temperatura correta do ar nos dias de calor mais forte (para uma temperatura agradável de 23º) também pode garantir redução no consumo, com até 5% de economia por aparelho.
  • Manter a manutenção adequada destes aparelhos também evita consumo excessivo no verão.
  • Tirar da tomada equipamentos que utilizam o modo stand-by é outra medida que ajuda o consumidor a utilizar energia de forma consciente.

Conta mais barata em janeiro

Apesar dos transtornos, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou ter identificado melhoria no cenário de produção hidrelétrica com elevação das vazões dos afluentes dos principais reservatórios, o que ocasionou a mudança da bandeira vermelha para amarela em janeiro.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *