quarta, 21 de outubro de 2020

Moradores de rua se espalham por Niterói

Moradores de rua fizeram da Praça Leoni Ramos, conhecida como Cantareira, abrigo (Foto: Ibici Silva)

Moradores e comerciantes de Niterói têm se queixado da crescente quantidade de população em situação de rua na cidade, principalmente em bairros da Zona Sul da cidade e região central. Além da sensação de insegurança, lojistas reclamam que as vendas acabam prejudicadas. De acordo com a Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos, os pontos com maior concentração são: Centro, Icaraí, São Domingos e Boa Viagem.

Segundo o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Niterói, Luiz Vieira, as reclamações dos comerciantes aumentaram há aproximadamente dois meses quando lojas em Icaraí começaram a ser arrombadas por criminosos.

“Geralmente os arrombamentos são acompanhados de pequenos roubos, e os donos das lojas questionam se os crimes não estão sendo cometidos por moradores de rua, já que a quantidade de pessoas nessa situação aumentou bastante no bairro”, afirmou.

Luiz ressaltou ainda que a hipótese dos comerciantes tem fundamento, visto que a situação já aconteceu no Centro e só parou quando a 76ª DP (Centro) interviu.

“Alguns criminosos se infiltravam e se passavam como moradores de rua, mas apenas para cometer os crimes de madrugada”, disse.

No Centro de Niterói, moradores de rua também tomam conta da Avenida Visconde do Rio Branco (Foto: Ibici Silva)

Pelas redes sociais, na última semana, moradores de Niterói questionavam o trabalho dos assistentes sociais demonstrando insegurança e indignação com a quantidade de moradores de rua e usuários de drogas nas ruas.

“Por que a Secretaria de Assistência Social da Prefeitura não atua nesses casos? Se essa atuação não está surtindo efeito é preciso mudar de estratégia urgentemente. Isso é uma tragédia social e se não for contida só vai piorar para eles e para nós também”, afirmou o morador Germano Carvalho.

A Prefeitura informou que equipes possuem uma rota diária de abordagem nos bairros com maior concentração de pessoas em situação de rua, além de pontos específicos em torno da cidade. As equipes atuam de segunda a sexta em três turnos: manhã, tarde e noite. Aos sábados, domingos e feriados, é realizado um plantão das 9h às 19h.

A ação busca sensibilizar as pessoas nessas condições a fim de irem para o Centro Especializado para População em Situação de Rua (Centro Pop), onde passam a ter acesso a diversas políticas públicas, é realizado o atendimento psicossocial e dá-se início ao processo de reinserção familiar. Do Centro Pop, essas pessoas são encaminhadas aos abrigos.

A nota ressaltou ainda que a ida e permanência nas casas de acolhimento não é compulsória no país e que o município possui 130 vagas em seus abrigos.

Saúde pública

No último dia 23, um grupo de moradores de rua, que ficava no fim da Praia de Icaraí, confessou a existência de usuários de drogas entre eles e que inclusive um filhote de cachorro teria consumido crack. O animal foi lançado ao mar e depois recolhido pelos próprios moradores de rua. No dia seguinte, o filhote ainda muito doente foi resgatado e salvo pela Guarda Municipal.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *