Motoristas protestam contra decreto de Rodrigo Neves

Manifestantes se reuniram na Prefeitura de Niterói. Foto: Patricia Vivas / Colaboração

Cerca de 250 motoristas de aplicativos de transporte individual se reuniram, por volta das 7h desta quarta-feira (3), em frente a sede da Prefeitura de Niterói, no Centro, para protestar contra o decreto nº 12.977/2018 do prefeito Rodrigo Neves (PDT), que limita a atividade da categoria na cidade.

As lideranças do movimento foram recebidas pelo prefeito e o secretário de Ordem Pública (Seop), Gilson Chagas. Entre as demandas citadas por eles como principais estão o tempo de fabricação do veículo exigida no decreto e o emplacamento obrigatório no município de Niterói.

“Enquanto na maior parte do país os carros podem ter de 8 a 10 anos, Niterói serão cinco anos. Além disso, pensamos que a regra do emplacamento em Niterói limita o direito básico de ir e vir”, afirmou Leandro Xavier, do movimento ‘Ponta a Ponta’, formado por motoristas de Uber.

Segundo o presidente da Associação de Motoristas por Aplicativo do Estado do Rio de Janeiro (Ampaerj), Alessandro Oliveira, o protesto não é contra a regulamentação, mas sim contra as exigências que prejudicam os niteroienses e os motoristas.

“Nós temos interesse em manter o atendimento ao usuário do aplicativo e por isso não estamos aqui para protestar contra a regulamentação ou fiscalização nas ruas. A verdade é que algumas exigências, como o emplacamento do veículo no município, irão aumentar o preço da corrida, diminuir a quantidade de carros para atender a população e isso não faz sentido”, afirmou.

O presidente da Associação de Motoristas por Aplicativo do Brasil (AMPAB), Duílio Grieco, informou que sabe que um decreto não é suspenso rapidamente, mas que é preciso repensar no que a cidade perde com essas exigências.

“Eles não se preocuparam, por exemplo, com o ISS (imposto sobre serviço), que é arrecadado no município onde se inicia a corrida.Estamos falando de uma conta de aproximadamente R$ 6 milhões por ano! A cidade vai perder isso?”, indagou.

A manifestação foi acompanhada pela Polícia Militar e Guarda Municipal, além da Niterói Transportes e Trânsito (NitTrans), que orientou o fluxo no local. De acordo com os organizadores, 500 motoristas pararam as atividades na cidade para protestar e distribuir panfletos.

A Prefeitura de Niterói informou, em nota, que está regulamentando o transporte por aplicativos na cidade e que um canal de diálogo foi aberto com os representantes da categoria.

Já a Uber informou, sobre a manifestação, que os motoristas parceiros são totalmente independentes. “Eles dirigem quando e onde quiserem, sem cobrança de número mínimo de viagens para permanecer na plataforma. Caso o parceiro não queira realizar viagens, só precisa manter o aplicativo desligado, sem necessidade de pedir autorização e sem receber qualquer punição”.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

4 thoughts on “Motoristas protestam contra decreto de Rodrigo Neves

  1. Há dois erros na reportagem, o presidente da AMPAERJ chama-se Alexandre Tinoco e o da AMPAERJ, Renato. Os citados representavam as associações, pois os presidentes estavam em reunião no interior da prefeitura.

  2. Tem né meu amigo! Com certeza você dever ser um dos empresários de ônibus, ou outro modal com interesse nesse decreto. Você talvez tem seu carrinho, né! Quero ver você falar isso para a população que necessita dos aplicativos, os excluídos. Você não percebeu, que se deixar restrito em Niterói, não haverá carro disponível para atender a população de Niterói!

  3. Rodrigo Neves. Por acaso ele não foi preso por possível recebimento de própria das empresas de ônibus ?!. Nao??! Sim?!!! Alguém investigou bem?
    Fico aguardando !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *