sexta, 16 de abril de 2021

Nem barulho de obras atrapalha cochilo de jacaré na Região Oceânica de Niterói

Guardas realizaram o resgate e reintegraram o animal à natureza na área de proteção ambiental do manguezal de Itaipu. Foto: Ascom/ Prefeitura Niterói

Um jacaré de papo amarelo foi resgatado nesta quinta-feira (25) por guardas da Coordenadoria Ambiental de Niterói. Funcionários que trabalham nas obras do Parque Orla Piratininga (POP) Alfredo Sirkis, em Piratininga, na Região Oceânica de Niterói, encontraram o réptil na foz do Rio Cafubá.

De acordo com a prefeitura, em menos de uma hora, os guardas realizaram o resgate e reintegraram o animal à natureza na área de proteção ambiental do manguezal de Itaipu.

A prefeitura informou que o local da soltura faz parte de uma área do Instituto Estadual de Ambiente (Inea) para onde vem sendo levadas várias espécies encontradas ou resgatadas na cidade, para o repovoamento e a manutenção da fauna.

Já em Várzea das Moças, os agentes resgataram  um gavião de cabeça cinza no quintal de uma casa. De acordo com a prefeitura, o animal foi encontrado pelos moradores da casa e aparentava estar debilitado.

Os agentes foram acionados através do número 153, que atende no Centro Integrado de Segurança Pública (Cisp). O procedimento é o recomendado pela Coordenadoria Ambiental, que pede que, sempre que uma pessoa encontrar um animal silvestre, de entrar em contato imediatamente para que o resgate possa ser feito.

A Coordenadoria Ambiental da Guarda Municipal de Niterói informou que todos os animais que são capturados têm as suas condições físicas avaliadas pela equipe, e se não apresentarem nenhum tipo de ferimento ou precisarem de cuidados específicos, são reintegrados à unidade de conservação mais próxima.

Segundo a coordenadoria, os animais que precisam de atendimento veterinário são encaminhados para instituições parceiras, como o Centro de Atendimento de Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (Cras), Centro de Animais Marinhos, ou Instituto Vital Brazil, no caso de cobras venenosas.

Além de jacarés, garças e capivaras já foram reintegradas na área, entre outras espécies.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');