sábado, 23 de janeiro de 2021

Niterói com alta de internações por Covid-19 em hospitais particulares

Unidade de Terapia Intensiva, UTI, Hospital, pacientes, tratamento, internação, equipamento hospitalar, ebc
Taxa de ocupação em leitos de UTI já ultrapassa 60%. Foto: EBC

Hospitais particulares de Niterói têm concentrado alta na taxa de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para Covid-19 e já chegou a 63% até esta terça-feira (1º), segundo levantamento do Sindicato dos Hospitais, Clínicas e Casas de Saúde de Niterói e São Gonçalo. São 166 leitos de UTI já ocupados por pacientes em tratamento contra o novo coronavírus.

Nos mais recentes números divulgados pelo prefeito Rodrigo Neves (PDT), no somatório da rede pública e privada a taxa de ocupação é de 50%, mas usuários da rede particular têm reclamado no perfil do Plantão Enfoco pelas redes sociais, alegando dificuldades para internação de amigos e familiares diagnosticados com a doença.

“Será que os médicos e enfermeiros estão mentindo? Heal [Hospital Estadual Azevedo Lima] abriu semana passada mais uma ala de Covid-19. HGI [Hospital Geral do Ingá] diz que não tem mais vaga, meu irmão internado no Santa Martha esperando vaga no CTI e por aí vai”, disse a seguidora Marcia Ribeiro.

“Será? Uma conhecida da minha amiga ficou 15 horas aguardando uma vaga no CTI em Niterói”, questionou a leitora Naiara de Azevedo.

Em sua conta pelas redes sociais, o prefeito de Niterói justificou a alta ao considerar que ‘o descontrole em cidades vizinhas está sobrecarregando especialmente a nossa rede privada de atendimento hospitalar, que no início da pandemia foi sobrecarregada’.

O governo municipal foi questionado sobre a atualização na taxa de ocupação nas redes pública/privada, mas ainda não se posicionou.

De acordo com o SindhLeste, alicerçado no boletim desta terça (1º), há 88% de ocupação nos quartos reservados para Covid-19 nos hospitais particulares, significando o número de 248 espaços ocupados para atendimento de pacientes com quadros mais graves da doença provocada pelo novo coronavírus.

Entre as unidades particulares, o Complexo Hospitalar de Niterói (CHN), no Centro, informa que, assim como nas redes pública e privada em geral, houve aumento no número de atendimentos de pacientes com suspeita e confirmação de Covid-19 nas últimas semanas.

Após estabilização no número de casos entre os meses de maio e outubro, em novembro, foi registrado aumento de 50% nas internações por Covid-19. Ainda de acordo com a unidade, desde o início da pandemia, o hospital mantém fluxos seguros de atendimento e internação.

No Barreto, o Hospital São Lucas esclarece que, até a manhã desta quarta-feira (2), dos 15 leitos de enfermaria dedicados ao tratamento de pacientes com Covid-19, 13 estão ocupados. Já no Centro de Tratamento Intensivo (CTI) são 15 leitos exclusivos, ocupados atualmente por 11 pacientes.

Profissionais da Saúde

Dificuldade na compra de EPIs facilitam a contaminação entre profissionais da saúde. Foto: Pedro Conforte / Arquivo

Com a alta de casos na cidade de Niterói, profissionais de Saúde também têm sido contaminados, gerando desafios ainda maiores às equipes de trabalho. O presidente do SindhLeste, Vinicius Queiroz, explica que há certas dificuldades nas compras de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), que muitas vezes são caros, mas necessários para proteção.

“Infelizmente temos muitos profissionais de saúde que também acabam contaminados e isso exige uma dinâmica intensa de substituição. Os hospitais também lidam com algumas dificuldades inesperadas, como os preços abusivos de EPIs, tendo que arcar com esse ônus para manter suas equipes e pacientes protegidos”

Quando questionado sobre possível solução para evitar superlotação das redes privadas em Niterói, Vinicius Queiroz garante que os hospitais estão preparados para fazer atendimento adequado à população.

“Os hospitais da rede privada de Niterói e São Gonçalo estão preparados e fazendo um excelente trabalho para atendimento à população. Todos continuam empenhados e muito dedicados. Se a população seguir as orientações dos órgãos de saúde para combate e prevenção do vírus, sem dúvida que isso sempre ajuda a minimizar problemas maiores no tratamento mais grave da doença”, esclarece.

A oscilação no indicador síntese de monitoramento da Covid-19 decresceu de 7.38 para 6.88 em Niterói, segundo a prefeitura. O indicador síntese é composto de 12 critérios, como número de leitos disponíveis, casos confirmados e número de óbitos.

Casos, segundo o governo

Nesta quarta (2), Niterói registrou nova crescente no número de casos confirmados pelo novo coronavírus com 73 novos diagnósticos positivos para a doença. O número de curados foi o mesmo: 73 — na comparação com o último boletim epidemiológico.

Ainda na terça-feira (1º), a cidade tinha atingido a marca de 17.459 casos confirmados. Na atual contabilização sobre o número de infectados, a cidade atingiu 17.532 confirmados nesta quarta.

O número de casos citados representa o total de contabilizados desde o início da pandemia, em março deste ano, desconsiderando a taxa de recuperados, que é organizada individualmente. São 16.729 recuperados no município, afirma o governo. Um dia antes, os dados sobre pessoas curadas atingia a casa dos 16.656, segundo a pasta de Saúde.

Com Matheus Merlim

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *