sábado, 24 de outubro de 2020

Novo Centro Econômico do Trabalho em Maricá

Assinatura do contrato de aluguel de um galpão em Inoã (Foto: Divulgação)

As Secretarias de Trabalho, Economia Solidária e Desenvolvimento Econômico, Comércio, Indústria, Petróleo e Portos de Maricá, se reuniram com a diretoria da Cooperativa de Costura, Confecção e Moda de Maricá, que tem o nome fantasia de Ubuntu, para formalizar o contrato de aluguel de um galpão em Inoã, que além de abrigar a sede da empresa, será o novo Centro de Desenvolvimento Econômico do Trabalho (CDET).

“A ideia é fazer um centro de apoio ao pequeno e médio empresário de Maricá e às cooperativas, a começar pela Ubuntu, que está aqui representada pela sua diretoria. Parte do galpão será a sede desta cooperativa de confecção e moda de Maricá, com a qual estamos em negociação para compra de uniformes escolares, uniformes para a área de saúde do município e para os prestadores de serviço”, explicou o secretário de Trabalho, Reginaldo Mendes Leite.

Para Reginaldo, este é um passo importante na dinâmica de desenvolvimento econômico e trabalho no município. “Desta forma nós conseguimos manter recursos na cidade. Quando se faz uma licitação para compra de uniformes escolares, por exemplo, é um dinheiro significativo, então manter este capital em uma empresa local, proporciona a circulação de renda e estimula a geração de emprego”, afirmou.

Além da cooperativa, o CDET também vai acolher outros empreendedores e gerar espaço para qualificação. “O empreendedor carece de um espaço para ser acolhido, para receber informações de como vai gerir o seu negócio e se desenvolver no mercado”, disse.

De acordo com o secretário de Economia Solidária, Diego Zeidan, ideias como a que originou a cooperativa trazem profundas transformações na vida da população.

“A transformação que a simples existência da cooperativa causa na vida das cooperadas é imensurável. Estas mulheres estão tendo a oportunidade de estudar, trabalhar, gerar sua própria renda, e este é um empoderamento muito importante”, destacou.

Segundo Wanise Las Casas, que é diretora financeira da Ubuntu, a conquista de um espaço no galpão do CDET é a realização de um sonho. “Fizemos algumas produções, mas como cada uma trabalhava de suas casas, a dificuldade sempre foi muito grande. Havia sempre um problema de logística para buscar material e juntar tudo. Ter um espaço próprio é vital para o desenvolvimento da cooperativa, agiliza a produção e faz com que a nossa mercadoria ganhe mais qualidade”.

Explicando a origem do nome da marca, o conselheiro fiscal Ralph Gualberto disse esperar que o conceito que os move sirva de exemplo para outros empreendedores.

“Ubuntu é mais que um nome de origem africana, é uma filosofia que prega a união de pessoas. Na filosofia ubuntu, uma pessoa só pode estar realizada e ser feliz se todos à sua volta estiverem felizes também. Eu sou porque somos, este é basicamente o princípio que nos move e que queremos para o todo”, finalizou.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *