sexta, 30 de outubro de 2020

Ônibus da Amparo em Maricá serão alugados como Vermelhinhos

Vermelhinhos
Viação Nossa Senhora do Amparo foi a vencedora do certame. Foto: Ibici Silva

A Viação Nossa Senhora do Amparo foi a vencedora do processo licitatório para fornecer 37 coletivos para a Empresa Pública de Transportes (EPT), que prevê a operação de 17 linhas na cidade. Além dos ônibus, o contrato prevê que a vencedora do certame forneça motoristas e o combustível.  

O contrato da licitação para aquisição dos veículos tinha sido suspenso pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE), em janeiro, para a realização de ajustes. 

Segundo o TCE, o valor previsto era de cerca de R$ 29 milhões, porém com as mudanças o valor do contrato assinado por R$ 18 milhões, pelo período de um ano. O presidente da Empresa de Transporte Público (EPT), Celso Haddad, explica que houve economia nos gastos. 

“Na licitação, por conta da competição entre várias empresas, conseguimos economizar mais de 11 milhões do valor estimado para a licitação. Com o novo contrato, depois da pandemia, irá apresentar melhora no transporte no 1° e 2° distritos”, disse o presidente da autarquia. 

Diante da decisão, o termo de contrato emergencial para locação de ônibus que já existia entre a EPT e a Viação Nossa Senhora do Amparo foi rescindido nesta quinta-feira (28).  A decisão foi publicada no Diário Oficial da cidade. 

Contudo a Nossa Senhora do Amparo, que já administra linhas intermunicipais no município, não foi a empresa que apresentou o menor orçamento durante concorrência licitatória, mas como as outras duas primeiras colocadas apresentaram inconsistências documentais, acabaram desclassificadas. 

Fim da concessão

Ônibus Intermunicipal Maricá
Empresa é a única a circular na cidade com transporte intermunicipal. Foto: Ibici Silva

No dia 30 de setembro do ano passado, a Prefeitura de Maricá publicou uma comunicação sobre o fim da concessão da Viação Nossa Senhora do Amparo das linhas municipais. Firmado em 2005, o contrato não foi renovado e tem prazo de término para o dia 3 de outubro deste ano, quando o vínculo completa 15 anos.

Na época, a Prefeitura informou que a medida foi tomada com base na cláusula que determina ser necessário o aviso com um ano de antecedência

Assinada pelo prefeito Fabiano Horta e pelo secretário de Transportes, André Luis Azeredo da Silva, a publicação enumerou os motivos da decisão. Entre as alegações, estão o aumento da população da cidade em detrimento da época em que o contrato foi firmado, além da necessidade de ampliação e modernização do transporte coletivo em todos distritos.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *