domingo, 24 de janeiro de 2021

Operação verão da Marinha reforça fiscalização em praias de Niterói

A operação contará com o aumento da efetiva força de trabalho. Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

A Marinha do Brasil dará início, na próxima segunda-feira (21), à Operação Verão 2020/2021. A medida, que ficará em vigor até 5 de março, visa complementar a fiscalização diária que já realizam nas águas oceânicas e interiores, incluindo-se a Baía de Guanabara, as praias do Rio de Janeiro, de Niterói, de toda a Costa Verde.

A operação contará com o aumento da efetiva força de trabalho, visando incrementar a segurança da navegação, a proteção da vida humana no mar e a prevenção da poluição ambiental proveniente de embarcações na orla marítima. Cabe ressaltar que o comando da corporação realizará a ação em todos os estados sob sua jurisdição (RJ, MG e ES).

O principal objetivo é uma campanha de conscientização e fiscalização do tráfego aquaviário nas áreas de maior concentração de embarcações, visando fortalecer a preservação de nossos mares, rios e lagos, aumentar a segurança da navegação e evitar acidentes. A Operação Verão também terá como foco o combate à poluição que tem atingido a nossa Amazônia Azul.

A ação contará com aproximadamente 350 militares, os quais atuarão também no esforço de conscientização da prevenção do novo coronavírus (Covid-19). Serão empregadas, simultaneamente, diversas Equipes de Inspeção Naval (IN), que atuarão em Marinas, clubes e colônias de pescadores, com lanchas, motos aquáticas e viaturas, em todas as áreas de prática de atividades náuticas.

A fiscalização das embarcações ocorrerá por meio de IN, nas quais as equipes de Inspetores Navais da CPRJ abordarão as embarcações, verificarão sua documentação e a habilitação dos condutores, a existência e o estado de conservação do material de salvatagem e o comportamento da embarcação quanto às regras de navegação.

A ação objetiva orientar, instruir e fiscalizar o tráfego aquaviário, contribuindo para a elevação da mentalidade de segurança no mar. A autuação e consequente aplicação de penalidades são adotadas quando se observa que a embarcação apresenta irregularidades em algum dos aspectos acima mencionados.

Qualquer irregularidade na condução de embarcações é passível de multa, sendo o responsável autuado administrativamente pelo Agente da Autoridade Marítima, com a possibilidade de suspensão da habilitação, temporariamente ou em definitivo, conforme a gravidade da infração.

Caso seja observado que uma embarcação oferece perigo à navegação por navegar em local não permitido ou que navegue descumprindo os requisitos previstos na Lei 9.537/97 (LESTA), esta será notificada e poderá ser apreendida, de acordo com a gravidade da infração. Dessa forma, destaca-se que embarcações movidas a motor, tais como lanchas e motos aquáticas, somente podem trafegar a mais de 200m da orla. As embarcações a remo e a vela podem trafegar a partir de 100m da orla.

Para os casos de aproximação de embarcações junto à orla das praias, há regras que se resumem da seguinte forma: para embarque e desembarque de passageiros ou material, as embarcações podem se aproximar, mantendo velocidade inferior a aproximadamente 5km (muito devagar), preservando a segurança dos banhistas, de preferência, em local livre de pessoas e nas extremidades da faixa de areia. Além disso, a aproximação e afastamento devem ocorrer, obrigatoriamente, em direção perpendicular à orla das praias.

A Capitania dos Portos ressalta que a causa mais frequente dos acidentes envolvendo embarcações no mar é o fator humano. Observa-se que a ingestão de bebidas alcoólicas pelo condutor de uma embarcação, por exemplo, é causa regular de acidentes graves. No entanto, outros fatores associados à imprudência e negligência dos condutores também são identificados.

Dessa forma, a Marinha recomenda que a segurança da navegação seja primordial, que todos os tripulantes possuam seus coletes salva-vidas e que sejam respeitadas rigorosamente as normas e leis, com responsabilidade e consciência. É importante ressaltar que a responsabilidade da correta condução das embarcações, não importa o tipo ou tamanho, é do seu comandante.

A MB esclarece que mantém uma equipe de Busca e Salvamento (SAR) de prontidão para atender emergências e apoiar eventuais necessidades, atuando em conjunto com outros órgãos sempre que há solicitação de socorro no mar.

Cabe destacar que a Marinha incentiva e considera importante a participação da comunidade, que pode ser feita pelos telefones 185 (número para emergências marítimas e pedidos de auxílio), (21) 2104-5480 (diretamente com a CPRJ para atendimento de denúncias) e (21) 97299-8300 (para o envio de imagens, que contribuem para a identificação da infração). Ao observar uma irregularidade no mar, informe imediatamente à CPRJ, incluindo, se possível, o nome da embarcação e seu número de inscrição.

Recomendações de segurança

  • Esteja atento e vigilante durante a navegação. Você é o responsável por tudo que acontece a bordo. O timão está em suas mãos!
  • Navegue a mais de 200 metros de distância da praia, respeite os banhistas. Lembre-se, seu direito termina quando começa o do outro.
  • Tenha em mãos a sua habilitação e os documentos obrigatórios. Confira tudo antes de sair e passe o dia tranquilo.
  • Conduza sua embarcação com velocidade segura. Isso permite a realização de manobras em caso de situação imprevista e evita acidentes.
  • Faça manutenção preventiva na sua embarcação. Assim como a gente, a embarcação também precisa de cuidados constantes. Cuidem-se!
  • Não consuma bebidas alcoólicas quando for conduzir sua embarcação. Quando existe respeito, a diversão não tem limites.
  • Conheça bem todos os lugares por onde a embarcação navegará. Não navegue no “escuro”.
  • Conheça a previsão do tempo antes de sair e fique atento às possíveis mudanças. Com precaução, não existe mau tempo.
  • Previna incêndios em sua embarcação. Pequenas medidas, como verificar o quadro elétrico e a validade dos extintores de incêndio evitam grandes tragédias.
  • Respeite o limite de pessoas a bordo e garanta a estabilidade da embarcação. A maioria dos acidentes com vítimas fatais são causados por esse descuido.
  • Informe seu plano de navegação e a lista das pessoas a bordo ao seu iate clube. Leve sempre um equipamento de comunicação. Navegar é bom, mas mantenha contato com terra firme.
  • Calcule o consumo de combustível para ir e voltar. Faça o cálculo em três partes: um terço para ir, outro para voltar e um de reserva.
  • Quando ancorado, não acione motores ou movimente a embarcação se tiver alguém por perto na água. A diversão e a segurança precisam navegar juntas!
  • Tenha coletes salva-vidas para todos a bordo, mas não se esqueça de que a prevenção é o seu melhor salva-vidas. Lembre-se: o colete salva-vidas deve ser homologado pela Marinha do Brasil.
  • Não polua mares, rios e lagoas. Lugar de lixo é no lixo.
(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *