quinta, 22 de outubro de 2020

PIB do Rio registra alta de 1,5% em 2019

De acordo com a pesquisa, índice é superior ao desempenho nacional. Foto: Marcello Casal Jr. – Agência Brasil

O estado do Rio de Janeiro ainda está em processo de recuperação econômica, mas o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) de 2019 já aponta aceleração em relação a 2018. É o que mostra a Nota Técnica do PIB fluminense 2019, divulgada nesta quinta-feira (5) pela Firjan.

Conforme o estudo, a atividade econômica do Rio cresceu 1,5% no ano passado, apresentando leve alta em relação a 2018 (1,2%) e mantendo-se superior ao PIB nacional de 2019 (1,1%).

“Este é o segundo ano consecutivo de crescimento do PIB do estado, o que indica continuidade do processo de recuperação da economia, mas ainda é lenta e pouco disseminada a todos os setores”, destaca o gerente de Estudos Econômicos da federação, Jonathas Goulart.

O economista explica que a alta do PIB é puxada pela indústria extrativa, que se destacou com aumento de 8,8% no ano, consolidando a expectativa de retomada intensa do mercado de petróleo e gás. Os serviços industriais de utilidade pública (SIUP) e a construção civil também registraram crescimento de 1,9% e 1,0%, respectivamente.

“A construção civil apresentou avanço após cinco anos de queda. No entanto, esse crescimento ainda foi insuficiente para compensar a perda acumulada de 35,8% entre 2014 e 2018. Mesmo assim, podemos dizer que o pior já passou”, avalia Goulart.

O quadro de melhora, entretanto, não se repete nos demais setores. A indústria de transformação ainda sofre as consequências da crise, registrando resultado negativo (–1,1%); e o segmento de serviços ainda mostra crescimento lento (1,1%), explicado pelo fraco desempenho do mercado de trabalho fluminense.

“A alta em relação a 2018 é uma notícia boa, que nos deixa otimistas, principalmente, porque ficamos acima do PIB nacional. Alguns setores interromperam a trajetória de queda, o que também é positivo. Mas é um resultado ainda muito pontual e concentrado na indústria de óleo e gás. Nossa expectativa é que isso se dissemine para outros segmentos, consolidando um ciclo virtuoso”, analisa Sérgio Duarte, presidente do Conselho Empresarial de Economia da Firjan.

Projeção para 2020

Para 2020, a Firjan estima aumento do PIB fluminense em 1,9%, levando em conta o recente ciclo de redução da taxa de juros, com impacto relevante para a diminuição da ociosidade na capacidade instalada das empresas e no mercado de trabalho.

Porém, o documento alerta para a conjunção de fatores de risco no horizonte, que pode impactar o resultado, levando o estado a registrar desempenho mais fraco, próximo a 1,0%.

Há o risco político, diante da dificuldade na aprovação das reformas tributária e administrativa, e uma possível duração mais longa dos efeitos do coronavírus.

“Esses fatores não mudam a realidade econômica de um dia para outro, mas alteram a percepção de sustentabilidade da economia brasileira, pois são capazes de afetar a confiança do empresário. Temos um otimismo em relação ao crescimento em 2020, mas a materialização desses riscos pode fazer com que tenhamos, novamente, resultado tímido”, argumenta Goulart.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *