quinta, 22 de outubro de 2020

Polícia coíbe carreata e detém organizador em Niterói

Manifestantes foram impedidos de sair em carreata. Foto: Marcelo Tavares

Organizador da carreata convocada para este domingo (17), na Zona Sul de Niterói, Douglas Gomes foi detido pela Polícia Militar por desobediência civil. Com o líder detido e bloqueios de viaturas pela orla, cerca de 50 manifestantes anti-isolamento social foram impedidos de seguir em carreata.

A carreata partiu dos catamarãs de Charitas, na Avenida Prof. Silvio Picanço, por volta das 10h. Ainda na orla, o veículo do organizador foi interceptado pelos militares e Douglas foi conduzido para a Delegacia de Jurujuba (79ª DP).

A distrital comunicou que o ativista foi autuado por crime de descumprimento de medida sanitária preventiva, nos termos do artigo nº 268 do Código Penal.

Coordenador de movimentos supra-partidários de extrema-direita em Niterói e pré-candidato a vereador pelo Partido Trabalhista Cristão (PTC), Douglas já havia sido autuado por convocar protestos anti-isolamento.

Apesar da carreata não ter saído, Douglas reafirmou seu posicionamento contra as medidas determinadas para conter o avanço da pandemia da Covid-19.

“A nossa constituição sobrepõe todo e qualquer decreto. Apoiamos o isolamento vertical, junto com as medidas apresentadas pelo governo Bolsonaro”, afirmou o ativista.

O deputado federal bolsonarista Carlos Jordy usou as redes para sair em defesa do organizador.

“Em Niterói, lamentavelmente a PM obedece às ordens ditatoriais do prefeito e do governador e impede uma carreata que pede o fim do lockdown e ainda leva preso o ativista Douglas Gomes” criticou o parlamentar.

Policiais do Batalhão de Niterói (12° BPM) e do Batalhão de Rondas Especiais e Controle de Multidões (Recom) instalaram bloqueios pela orla de São Francisco e Charitas. A Guarda Municipal também monitora o tráfego na região.

Os agentes de segurança ressaltaram que motoristas estiverem circulando fora as exceções previstas em lei municipal do lockdown, como deslocamento para trabalho em serviços essenciais e compras em mercado, estão sujeitos a multa de R$ 180.

Sentença

As aglomerações estão proibidas por decisão judicial da desembargadora do Tribunal de Justiça do Rio (TJRJ), Marianna Fux, em ação civil pública movida pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ). A sentença obriga o governo estadual a fiscalizar e usar força coercitiva para impedir as aglomerações.

Mesmo condenado a pagar multa de R$ 50 mil em outra decisão obtida pelo MPRJ na sexta-feira (15), Douglas manteve a convocação para a carreata deste domingo através de postagens nas redes sociais.

Os movimentos haviam sido alvo de denúncia da comissão de Saúde da Câmara de Niterói, através de representação ao MPRJ. O presidente da comissão, vereador Paulo Eduardo Gomes (Psol), alerta para o risco de aumento de casos com a reabertura do comércio.

“O que vimos na última carreata foram atos criminosos, com aglomerações e buzinaços na frente de hospitais onde tinham pessoas morrendo desta doença que esse setor insiste em chamar de gripezinha. A reabertura de parte do comércio será feita, mas com muito cuidado e atendendo a critérios sanitários” afirmou o parlamentar.

Publicado às 11h. Atualizada às 12h20.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *