sexta, 18 de setembro de 2020

Praça agroecológica em Maricá ganhará cerca de proteção

Local ganhará cerca de proteção. Foto: Ibici Silva

Apesar de ter sido inaugurada há menos de um mês – no dia 14 de agosto – a Praça Agroecológica Emilton Santos, em Araçatiba, na Região Central de Maricá, receberá implementação de uma cerca, segundo a subsecretária de Agricultura, Pecuária e Pesca, Julyana Von Matter.

Segundo divulgado nesta sexta-feira (11), durante a segunda colheita de folhas e tubérculos, o local ganhará uma cerca de mourões de eucalipto e portões para evitar que seja acessado por animais.

“Vimos a necessidade da colocação de uma cerca para evitar que os animais tenham acesso às plantações e até mesmo pisem nos alimentos”, explicou.

Nessa segunda colheita os moradores tiveram uma variedade maior de alimentos: salsinha, cebolinha, mostarda, louro, beterraba, almeirão, alface (verde e roxo).

O morador de Itaipuaçu, Otávio Henrique, 43 anos, foi um dos beneficiados com a oportunidade de fazer feira.

“Muito bom ter essas verduras fresquinhas colhidas na hora. Estava passando, vi que estavam fazendo a coleita e aproveitei para vir fazer a feira. Com certeza meu filho e minha esposa irão gostar quando eu chegar em casa”, disse.

Segunda colheita foi feita nesta sexta-feira (11). Foto: Ibici Silva

A advogada, Erika Ribeiro, conta que já usará o alface no jantar desta sexta-feira.

“Além de levar alface, estou levando mudas de alho poró e alface para plantar na minha hortinha. Plantar produto orgânico é uma maravilha”, afirmou.

A horta comunitária conta com mais de 200 espécies de diferentes hortaliças e frutas. O engenheiro agrônomo Cláudio Mattos, explicou que após a colheita haverá um rodízio de plantio em relação aos tubérculos e folhagens.

“Realizamos a colheita e logo em seguida fazemos novamente a plantação, mas realizamos o rodízio para evitar insetos. Outro benefício é ajudar no solo, já que cada alimento produz um nutriente diferente”, contou.

De acordo com o secretário de Agricultura, Pecuária e Pesca, Dr.Carolino, a colheita não pode ser feita diretamente pela população, mas todos que procurarem o local podem ter acesso aos produtos, além de explicações de como funciona o plantio, além de receberem mudas das hortaliças.

“Ver a participação da população é muito satisfatório, uma prova que estão gostando. Apesar de pouco tempo de inaugurada já estamos colhendo os frutos pela segunda vez. Além disso, é uma verdadeira praça escola, já que aqui todos podem obter informações sobre plantio, manutenção e colheita dos alimentos”, contou.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *