terça, 27 de outubro de 2020

Primeira colheita de mel é feita na fazenda pública de Maricá

Favos foram retirados de três das sete caixas criadas. Foto: Evelen Gouvêa/Ascom Maricá

A primeira coleta de mel da Fazenda Ibiaci, no Espraiado, foi feita nesta terça-feira (12) por apicultores da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Pesca de Maricá, que retiraram os favos criados em três das sete caixas, onde há um total aproximado de 420 mil abelhas (média de 60 mil em cada uma).

A produção que pode chegar a 57 litros de mel terá parte dela distribuída em escolas da rede municipal de ensino, após o fim do decreto de isolamento social devido à pandemia da Covid-19. Para realizar a operação, todos os apicultores utilizam uma roupa especial de proteção contra um possível ataque das abelhas.

O equipamento individual inclui luvas e botas. As colmeias estão instaladas numa área de encosta, distante cerca de 300 metros da sede da fazenda. Para chegar até os criadouros foi aberta uma clareira, facilitando o acesso da equipe.

De acordo com o apicultor Luiz Claudio Cole, que administra o apiário, outro item importante é o fumigador, que expele uma fumaça feita de ervas (como camomila e capim-limão, por exemplo) para espantar as abelhas.

“Elas respeitam a fumaça porque, para elas, é sempre um sinal de fogo do qual elas precisam se proteger. Nós abrimos as caixas e retiramos os favos ou, se for necessário, toda a melgueira, que é a placa onde elas ficam. Depois disso, o mel vai para um laboratório para ser separado, pesado, em seguida a um decantador, onde fica descansando por 72 horas. Ao fim dessa parte é que o mel vai para as embalagens”, explica Cole.

Segundo a subsecretária Julyana Von Matter, um dos projetos futuros para a Fazenda Ibiaci é a montagem de um laboratório para o beneficiamento do mel recolhido no apiário. Nesta primeira coleta, o processo será feito em uma unidade particular.

“Depois de pronto, vamos poder produzir mel e própolis a partir do que produzirmos. Sobre esta coleta, é importante destacar que o mel é um produto que não se estraga e, por isso, poderemos entregar uma quantidade às escolas de nossa sede quando as aulas retornarem”, disse ela, lembrando que a retirada de mel ocorre a cada seis meses.

Julyana Von Matter também falou sobre o serviço chamado de ‘Disk Abelha’, onde o morador de Maricá poderá solicitar a presença da equipe de apicultura para retirar um enxame ou colmeias que esteja em sua casa. “A população entra em contato e enviamos ao local dois apicultores para fazer a retirada”, explicou a subsecretária.

O telefone do ‘Disk Abelha’ é (21) 97462-4039.

Publicada às 20h15

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *