domingo, 20 de setembro de 2020

Rave é interrompida na Zona Oeste do Rio

Evento era irregular. Foto: Divulgação/ Prefeitura do Rio

A Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop), impediu, na tarde deste domingo (30), uma rave que acontecia desde o início da manhã na Ilha de Guaratiba, na Zona Oeste.

A ação, conjunta com a Polícia Militar, retirou cerca de 150 pessoas que se encontravam no local. Esta foi o terceiro evento encerrado pelos agentes da Prefeitura, entre a noite de sábado e este domingo.

Desde quinta-feira (27), quando foram iniciadas ações noturnas contra aglomerações pela Seop, já foram fiscalizados 26 estabelecimentos, entre bares, boates e espaços para festas, que registram ainda 18 autuações por diversas irregularidades, entre sanitárias, contra normas fazendárias e da pandemia.

Interdições

Na madrugada de sábado, outros dois estabelecimentos, na Barra da Tijuca e em Jacarepaguá, foram interditados pelos agentes da Seop e da Secretaria Municipal de Fazenda por não haver autorização para funcionamento. Já no início da noite, uma festa programada para acontecer em espaço com campo de futebol e piscina foi encerrada pelas equipes da Prefeitura, sendo autuada por técnicos da Vigilância Sanitária.

Órgãos

Com a participação de agentes da Subsecretaria de Vigilância Sanitária, Secretaria Municipal de Fazenda e Guarda Municipal, a força-tarefa de enfrentamento à pandemia de Covid-19 passou, entre quinta e sábado, pela Ilha do Governador, Vila da Penha, Vila Valqueire, Freguesia, Madureira, Bangu, Barra da Tijuca, Curicica, Anil, Méier e Ilha de Guaratiba. Durante as operações, também foram registradas 20 infrações de trânsito, com um veículo removido por estacionamento irregular no entorno dos estabelecimentos. Mais ações estão previstas para à noite deste domingo.

Planejamento

As ações conjuntas são planejadas com base em denúncias à Central 1746 (canal de Prefeitura de atendimento ao cidadão) e relatórios de inteligência da Subsecretaria de Operações (Subop) da Seop, que identifica eventos divulgados pelas redes sociais. A fiscalização conta com efetivos da Guarda Municipal; Subsecretaria de Vigilância Sanitária (da Secretaria Municipal de Saúde); coordenadorias de Licenciamento e Fiscalização (CLF) e de Controle Urbano (CCU), da Secretaria Municipal de Fazenda; coordenadoria de Reboques da Seop; e Polícia Militar.

Eventos proibidos

A Subsecretaria de Vigilância Sanitária reforça que ainda não estão liberados eventos sociais na cidade do Rio, seguindo a deliberação do Comitê Científico do município. Continuam, portanto, suspensas as emissões da Licença Sanitária para Atividades Transitórias (Lsat) referentes a eventos.

De acordo com a Subsecretaria de Licenciamento, Fiscalização e Controle Urbano, da Fazenda, qualquer tentativa de realização de evento sem autorização pode acarretar a interdição do estabelecimento, multa de R$ 891,59 e início dos procedimentos para cassação do alvará.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *